AL debate genocídio de travestis e transexuais

Audiência Pública nesta quarta (25) vai debater o genocídio de de travestis e transexuais da população Lésbica, Gay, Bissexual, Travesti, Transexual e Transgênero (LGBT) no Ceará. Segundo a deputada Rachel Marques (PT), no mês de julho de 2017 houve um aumento nas estatísticas de assassinatos. Até o presente momento são 10 casos. "Tal fato evidencia o cenário de completa vulnerabilidade social da população LGBT, especialmente dos trabalhadores e sujeitos mais empobrecidos, decorrente da ausência de políticas públicas concretas e permanentes", defendeu Rachel

Audiência Pública nesta quarta (25) vai debater o genocídio de de travestis e transexuais da população Lésbica, Gay, Bissexual, Travesti, Transexual e Transgênero (LGBT) no Ceará. Segundo a deputada Rachel Marques (PT), no mês de julho de 2017 houve um aumento nas estatísticas de assassinatos. Até o presente momento são 10 casos. "Tal fato evidencia o cenário de completa vulnerabilidade social da população LGBT, especialmente dos trabalhadores e sujeitos mais empobrecidos, decorrente da ausência de políticas públicas concretas e permanentes", defendeu Rachel
Audiência Pública nesta quarta (25) vai debater o genocídio de de travestis e transexuais da população Lésbica, Gay, Bissexual, Travesti, Transexual e Transgênero (LGBT) no Ceará. Segundo a deputada Rachel Marques (PT), no mês de julho de 2017 houve um aumento nas estatísticas de assassinatos. Até o presente momento são 10 casos. "Tal fato evidencia o cenário de completa vulnerabilidade social da população LGBT, especialmente dos trabalhadores e sujeitos mais empobrecidos, decorrente da ausência de políticas públicas concretas e permanentes", defendeu Rachel (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - A Comissão de Direitos Humanos e Cidadania (CDHC) da Assembleia Legislativa do Ceará, realiza nesta quarta-feira (25), às 14h,  a audiência pública sobre o genocídio de travestis e transexuais da população Lésbica, Gay, Bissexual, Travesti, Transexual e Transgênero (LGBT) no Ceará.

O evento, que atende o requerimento da presidente da Comissão,  deputada Rachel Marques (PT), e do Grupo de Resistência Asa Branca (GRAB), vai acontecer no auditório do Complexo de Comissões Técnicas da Casa.

Segundo Rachel Marques, no mês de julho de 2017 houve um aumento nas estatísticas de assassinatos relacionados à população LGBT no Estado do Ceará. Até o presente momento são 10 casos somente de travestis assassinadas na Capital e nos municípios de Itaitinga, Juazeiro do Norte, São Luís do Curu e Russas, pontuou a parlamentar.

“Tal fato evidencia o cenário de completa vulnerabilidade social da população LGBT, especialmente dos trabalhadores e sujeitos mais empobrecidos, decorrente da ausência de políticas públicas concretas e permanentes dirigidas à população LGBT, nas áreas de educação, cultura saúde segurança pública e moradia. Na audiência pública iremos debater acerca das medidas que vêm sendo tomadas sobre esta problemática no Ceará”, afirma a deputada.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247