AL tem a segunda menor renda mensal do Brasil, diz IBGE

De acordo com o IBGE, em Alagoas o rendimento por pessoa tem média de R$ 658, só ficando à frente do Maranhão (R$ 597); valores foram obtidos a partir dos rendimentos brutos efetivamente recebidos no mês de referência da pesquisa, acumulando as informações das primeiras entrevistas do 1º, 2º, 3º e 4º trimestres da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)

De acordo com o IBGE, em Alagoas o rendimento por pessoa tem média de R$ 658, só ficando à frente do Maranhão (R$ 597); valores foram obtidos a partir dos rendimentos brutos efetivamente recebidos no mês de referência da pesquisa, acumulando as informações das primeiras entrevistas do 1º, 2º, 3º e 4º trimestres da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua)
De acordo com o IBGE, em Alagoas o rendimento por pessoa tem média de R$ 658, só ficando à frente do Maranhão (R$ 597); valores foram obtidos a partir dos rendimentos brutos efetivamente recebidos no mês de referência da pesquisa, acumulando as informações das primeiras entrevistas do 1º, 2º, 3º e 4º trimestres da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Por Gazetaweb.com - Alagoas tem a segunda menor renda nominal mensal domiciliar per capita do Brasil, conforme dados revelados nesta quarta-feira (28), pelo IBGE. No Estado, o rendimento por pessoa tem média de R$ 658, só ficando à frente do Maranhão (R$ 597).

O IBGE divulgou os valores dos rendimentos domiciliares per capita referentes a 2017 para o Brasil e unidades da Federação, calculados com base na Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) e enviados ao Tribunal de Contas da União (TCU). 

Esta divulgação atende ao disposto na Lei Complementar 143/2013, que estabelece os novos critérios de rateio do Fundo de Participação dos Estados e do Distrito Federal (FPE).

O rendimento domiciliar per capita é calculado como a razão entre o total dos rendimentos domiciliares (em termos nominais) e o total dos moradores. 

São considerados os rendimentos de trabalho e de outras fontes de todos os moradores, inclusive os classificados como pensionistas, empregados domésticos e parentes dos empregados domésticos. 

Os valores foram obtidos a partir dos rendimentos brutos efetivamente recebidos no mês de referência da pesquisa, acumulando as informações das primeiras entrevistas do 1º, 2º, 3º e 4º trimestres da PNAD Contínua de 2017.

A PNAD Contínua é uma pesquisa domiciliar que, a cada trimestre, capta informações socioeconômicas e demográficas em cerca de 211 mil domicílios, em aproximadamente 16 mil setores censitários, distribuídos em cerca de 3,5 mil municípios.

Com IBGE

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247