Alckmin adere ao golpe contra Dilma

Até então a voz mais cautelosa do PSDB em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, governador de São Paulo passou a defender que “se acelere um desfecho” para a crise; “O país não aguenta nem pode mais esperar tanta indefinição”, tem dito Geraldo Alckmin, segundo a colunista Natuza Nery

Até então a voz mais cautelosa do PSDB em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, governador de São Paulo passou a defender que “se acelere um desfecho” para a crise; “O país não aguenta nem pode mais esperar tanta indefinição”, tem dito Geraldo Alckmin, segundo a colunista Natuza Nery
Até então a voz mais cautelosa do PSDB em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, governador de São Paulo passou a defender que “se acelere um desfecho” para a crise; “O país não aguenta nem pode mais esperar tanta indefinição”, tem dito Geraldo Alckmin, segundo a colunista Natuza Nery (Foto: Roberta Namour)

247 – O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, até então a voz mais cautelosa do PSDB em relação ao impeachment de Dilma Rousseff, passou a defender que “se acelere um desfecho” para a crise; “O país não aguenta nem pode mais esperar tanta indefinição”, tem dito o tucano, segundo a colunista Natuza Nery.

Leia na nota abaixo: 

Veja bem Alckmin, que via como “precipitada” a discussão sobre a deposição, mantém a tese de que a Constituição deve ser respeitada, mas já não trata como remota a possibilidade de Dilma ter cometido crime de responsabilidade.

Esclarece O governador diz que nunca foi contra o impeachment, mas passou a admitir nos bastidores que “não estava se fazendo entender”.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247