Alckmin enfraquece medidas contra violência policial

Segundo levantamento da ‘Folha de S. Paulo’, mecanismos para investigar e reduzir as mortes por intervenções policiais foram extintos ou esvaziados nos últimos anos pela gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) no momento em que o Estado bate recorde de casos do tipo; a Secretaria da Segurança do governo de São Paulo rebate

Segundo levantamento da ‘Folha de S. Paulo’, mecanismos para investigar e reduzir as mortes por intervenções policiais foram extintos ou esvaziados nos últimos anos pela gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) no momento em que o Estado bate recorde de casos do tipo; a Secretaria da Segurança do governo de São Paulo rebate
Segundo levantamento da ‘Folha de S. Paulo’, mecanismos para investigar e reduzir as mortes por intervenções policiais foram extintos ou esvaziados nos últimos anos pela gestão de Geraldo Alckmin (PSDB) no momento em que o Estado bate recorde de casos do tipo; a Secretaria da Segurança do governo de São Paulo rebate (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 – São Paulo bateu o recorde de mortes praticadas por policiais. De acordo com a Ouvidoria da Polícia do Estado de São Paulo, 571 pessoas morreram entre janeiro e agosto deste ano no Estado em decorrência de abordagens das polícias Civil e Militar - maior índice desde 2006.

Por outro lado, o governo de Geraldo Alckmin (PSDB) enfraqueceu as medidas para reduzir esse tipo de violência.

Segundo levantamento da ‘Folha de S. Paulo’, desde 2011, o Estado não conta com a Comissão Especial de Redução da Letalidade, que tinha o objetivo de investigar e reduzir as mortes por intervenções policiais.

Um outro grupo criado em 2014, com previsão de financiamento de R$ 10 milhões pela Fapesp (Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo), também foi desmobilizado.

A Secretaria da Segurança do governo de São Paulo rebate e diz que os mecanismos estão em funcionamento (leia mais).

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247