Alckmin lança FHC nas indiretas do pós-Temer

Governador de São Paulo e presidenciável do PSDB defendeu nesta sexta-feira, 26, os nomes do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do senador Tasso Jereissati, presidente interino do partido, como eventuais candidatos numa eleições indireta para substituir Michel Temer, que é rejeitado por 95% dos brasileiros e investigado por corrupção; "Quero antecipar que nesta hipótese eu não sou candidato a nenhuma eleição indireta. Os dois grandes nomes do PSDB são o presidente Fernando Henrique e o Tasso Jereissati", disse Geraldo Alckmin, após cerimônia de abertura de um feirão da Caixa, na capital paulista  

Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o ex-presidente da Fernando Henrique Cardoso, e governadores tucanos em reunião na sede da Executiva Nacional do PSDB (Valter Campanato/Agência Brasil)
Brasília - O presidente nacional do PSDB, senador Aécio Neves, o ex-presidente da Fernando Henrique Cardoso, e governadores tucanos em reunião na sede da Executiva Nacional do PSDB (Valter Campanato/Agência Brasil) (Foto: Aquiles Lins)

SP 247 - O governador de São Paulo e presidenciável do PSDB, Geraldo Alckmin, defendeu nesta sexta-feira, 26, os nomes do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso e do senador Tasso Jereissati, presidente interino do partido, como eventuais candidatos numa eleições indireta para substituir Michel Temer, que é rejeitado por 95% dos brasileiros e investigado por corrupção, organização criminosa e obstrução da Justiça.

"Quero antecipar que nesta hipótese eu não sou candidato a nenhuma eleição indireta. Os dois grandes nomes do PSDB são o presidente Fernando Henrique e o Tasso Jereissati", disse Geraldo Alckmin, após cerimônia de abertura de um feirão da Caixa, na capital paulista. 

A declaração foi dada um dia depois de Alckmin se reunir com Jereissati e com o prefeito João Doria na casa do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). A reunião foi organizada entre as lideranças como parte das viagens de Jereissati para ouvir os caciques do partido e decidir uma posição de permanecer ou desembarcar do governo Temer na semana que vem, quando o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) retoma o julgamento da ação que pode cassar Temer.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247