Alckmin: melhor para o país é continuar com Temer

Praticamente num ato de suicídio político, o governador de São Paulo e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) ignorou a vontade de mais de 90% da população brasileira e afirmou nesta terça-feira, 24, que o "melhor para o País" é que Michel Temer continue na Presidência; "Espero que o presidente continue, porque estamos a menos de um ano do processo eleitoral. Precisamos ter cuidado para não fragilizar a economia que dá os primeiros passos de recuperação. Acredito que ele vai continuar e acho bom para o Brasil", disse; Alckmin estuda a possibilidade de exonerar os secretários Samuel Moreira e Floriano Pesaro, que possuem mandatos de deputado federal para que possam votar pela rejeição da segunda denúncia contra Temer

michel temer 
geraldo alckmin
michel temer  geraldo alckmin (Foto: Aquiles Lins)

SP 247 - Praticamente num ato de suicídio político, o governador de São Paulo e presidenciável Geraldo Alckmin (PSDB) ignorou a vontade de mais de 90% da população brasileira e afirmou nesta terça-feira, 24, que o "melhor para o País" é que Michel Temer continue na Presidência. 

"Espero que o presidente continue, porque estamos a menos de um ano do processo eleitoral. Precisamos ter cuidado para não fragilizar a economia que dá os primeiros passos de recuperação. Acredito que ele vai continuar e acho bom para o Brasil", disse.

Na votação da primeira denúncia, em agosto, 10 dos 11 deputados federais do PSDB de São Paulo votaram a favor da abertura de ação criminal contra Temer. O alinhamento anti-Temer da bancada tucana paulista foi atribuído a Alckmin.

Desta vez, o governador tucano estuda a possibilidade de exonerar os secretários Samuel Moreira e Floriano Pesaro, que possuem mandatos de deputado federal para que possam votar pela rejeição da segunda denúncia contra Temer (leia mais). 

Ao vivo na TV 247 Youtube 247