Alckmin quer ser o candidato da segurança

É o que informa a coluna Radar; pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conta com uma estratégia de sua equipe para apresentar o tucano como o candidato da segurança pública; na visita que deverá fazer ao Rio em abril, por exemplo, Alckmin deverá bater na tecla que em São Paulo a taxa de homicídios gira em torno de 8 vítimas a cada 100 mil habitantes e, no estado vizinho, salta para 30 assassinatos

É o que informa a coluna Radar; pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conta com uma estratégia de sua equipe para apresentar o tucano como o candidato da segurança pública; na visita que deverá fazer ao Rio em abril, por exemplo, Alckmin deverá bater na tecla que em São Paulo a taxa de homicídios gira em torno de 8 vítimas a cada 100 mil habitantes e, no estado vizinho, salta para 30 assassinatos
É o que informa a coluna Radar; pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conta com uma estratégia de sua equipe para apresentar o tucano como o candidato da segurança pública; na visita que deverá fazer ao Rio em abril, por exemplo, Alckmin deverá bater na tecla que em São Paulo a taxa de homicídios gira em torno de 8 vítimas a cada 100 mil habitantes e, no estado vizinho, salta para 30 assassinatos (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - Pré-candidato à presidência da República pelo PSDB, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, conta com uma estratégia de sua equipe para apresentar o tucano como o candidato da segurança pública. A informação foi publicada pela coluna Radar, nesta quarta-feira (28).

De acordo com o texto, na visita que deverá fazer ao Rio em abril, por exemplo, Alckmin deverá bater na tecla que em São Paulo a taxa de homicídios gira em torno de 8 vítimas a cada 100 mil habitantes e, no território fluminense, salta para 30 assassinatos.

A segurança pública voltou a ser um tema recorrente no discurso dos políticos, sejam presidenciáveis ou não, nos últimos dias, após o governo Michel Temer anunciar a intervenção militar federal no Rio de Janeiro. 

Dentro do discurso acerca da segurança, Alckmin terá um "concorrente", o deputado federal e presidenciável do PSL, Jair Bolsonaro RJ), ex-capitão do Exército e considerado o porta-voz dos militares na política. Recentemente, o parlamentar acusou Temer de roubar o seu discurso da segurança pública. “Temer já roubou muita coisa, mas meu discurso ele não vai roubar, não”, disse ele em  ao jornalista Tales Faria, do Poder 360. 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247