Alckmin tenta conter Doria e diz que ele será o candidato à presidência

Durante evento do Lide nesta segunda-feira 6, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou pela primeira vez que pretende ser candidato à presidência em 2018; "Se eu disser que não quero, que não pretendo, não é verdade", disse; "Mas candidatura a cargo majoritário não é vontade pessoal. Ela é fruto de um desejo coletivo", acrescentou; declaração é feita dias depois de pesquisas já iniciarem o teste do nome do prefeito João Doria nacionalmente; assim como Aécio Neves e José Serra, já manchados, Alckmin também corre o risco de ser abatido pela Lava Jato e ter sua candidatura inviabilizada

Durante evento do Lide nesta segunda-feira 6, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou pela primeira vez que pretende ser candidato à presidência em 2018; "Se eu disser que não quero, que não pretendo, não é verdade", disse; "Mas candidatura a cargo majoritário não é vontade pessoal. Ela é fruto de um desejo coletivo", acrescentou; declaração é feita dias depois de pesquisas já iniciarem o teste do nome do prefeito João Doria nacionalmente; assim como Aécio Neves e José Serra, já manchados, Alckmin também corre o risco de ser abatido pela Lava Jato e ter sua candidatura inviabilizada
Durante evento do Lide nesta segunda-feira 6, o governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), afirmou pela primeira vez que pretende ser candidato à presidência em 2018; "Se eu disser que não quero, que não pretendo, não é verdade", disse; "Mas candidatura a cargo majoritário não é vontade pessoal. Ela é fruto de um desejo coletivo", acrescentou; declaração é feita dias depois de pesquisas já iniciarem o teste do nome do prefeito João Doria nacionalmente; assim como Aécio Neves e José Serra, já manchados, Alckmin também corre o risco de ser abatido pela Lava Jato e ter sua candidatura inviabilizada (Foto: Gisele Federicce)

SP 247 – Dias depois de o nome do prefeito de São Paulo, João Doria, ter começado a ser ventilado nacionalmente em pesquisas sobre o cenário das eleições presidenciais de 2018, o governador Geraldo Alckmin (PSDB) admitiu pela primeira vez que pretende se candidatar ao Palácio do Planalto.

Durante evento do Lide em São Paulo nesta segunda-feira 6, Alckmin afirmou: "Se eu disser que não quero, que não pretendo, não é verdade". "Mas candidatura a cargo majoritário não é vontade pessoal. Ela é fruto de um desejo coletivo", acrescentou o tucano, chamado de "Santo" em delação da Odebrecht, na Lava Jato.

Alckmin também ironizou aqueles que duvidavam que Doria pudesse se eleger prefeito e agora acreditam que ele pode concorrer à presidência. "Me sinto muito feliz", declarou, questionado sobre a "onda Doria" dentro do próprio partido. "Eu ajudei o João Doria. Até aqueles que duvidavam primeiro que ele pudesse se eleger e, depois, que pudesse ser prefeito, hoje reconhecem", completou.

O nome de Doria começa a ser testado diante da possibilidade dos tucanos Aécio Neves, o Mineirinho, José Serra, o Careca, e mesmo Alckmin, já manchados, não poderem se candidatar por conta das denúncias de corrupção no âmbito do esquema da Petrobras.

No evento desta segunda, Doria demonstrou apoio ao padrinho político. "No futuro vindouro, não que essa seja a hora e o momento, quero dizer que a posição do João Doria cidadão e eleitor é Geraldo Alckmin candidato à Presidência do Brasil", discursou.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247