Alckmin viu ‘operação Andrada’ como desastrada

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), fez questão de deixar claro que não endossou a movimentação do líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (PSDB), para retirar da CCJ o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que era relator da segunda denúncia contra Temer e já prometia arquivá-la

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), fez questão de deixar claro que não endossou a movimentação do líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (PSDB), para retirar da CCJ o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que era relator da segunda denúncia contra Temer e já prometia arquivá-la
O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), fez questão de deixar claro que não endossou a movimentação do líder do PSDB na Câmara, Ricardo Tripoli (PSDB), para retirar da CCJ o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG), que era relator da segunda denúncia contra Temer e já prometia arquivá-la (Foto: Gisele Federicce)

SP 247 - O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB), teria considerado desastrada a operação para retirar o deputado Bonifácio de Andrada (PSDB-MG) da Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) da Câmara.

Andrada era relator da segunda denúncia contra Temer e já prometia arquivá-la. A ala governista do PSDB defendia sua permanência, mas os tucanos que têm posicionamento contra Temer queriam desalojá-lo da vaga na comissão.

Foi o que fez o líder na Câmara, Ricardo Tripoli (SP), com muita exposição sobre o caso e sobre o claro racha interno no partido. Alckmin fez questão de deixar claro que não endossou a movimentação de Tripoli, segundo a coluna Painel.

No fim, em favor de Temer, o PSC cedeu sua vaga na CCJ para Andrada.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247