Alimentos voltam a subir e pressionam inflação em SP

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, atingiu 0,58%, na terceira prévia de novembro, ante 0,53% na apuração passada. Dos sete grupos pesquisados, o de alimentos liderou a pressão inflacionária, ao passar de uma alta de 1,17% para 1,22%

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, atingiu 0,58%, na terceira prévia de novembro, ante 0,53% na apuração passada. Dos sete grupos pesquisados, o de alimentos liderou a pressão inflacionária, ao passar de uma alta de 1,17% para 1,22%
O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, atingiu 0,58%, na terceira prévia de novembro, ante 0,53% na apuração passada. Dos sete grupos pesquisados, o de alimentos liderou a pressão inflacionária, ao passar de uma alta de 1,17% para 1,22% (Foto: Leonardo Attuch)

Marli Moreira - Repórter da Agência Brasil

O Índice de Preços ao Consumidor (IPC), medido pela Fundação Instituto de Pesquisas Econômicas (Fipe) na cidade de São Paulo, atingiu 0,58%, na terceira prévia de novembro, ante 0,53% na apuração passada. Dos sete grupos pesquisados, o de alimentos liderou a pressão inflacionária, ao passar de uma alta de 1,17% para 1,22%.

A variação mais elevada do período ocorreu em despesas pessoais, com 1% ante 0,3%. Mais dois grupos apresentaram aumentos: saúde (de 0,45% para 0,55%) e vestuário (de 0,25% para 0,41%). Em transportes, o índice registrou a mesma variação da segunda prévia (0,1%) e nos demais houve redução no ritmo de alta: habitação (de 0,52% para 0,33%) e educação (de 0,12% para 0,08%).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247