Aloysio Nunes volta a atacar gestão da Petrobras

"O que se observa é que nas últimas gestões da Petrobras, em que a presidente Dilma esteve intimamente implicada, perderam uma oportunidade fantástica de dar ao Brasil de fato a autossuficiência na produção de petróleo e derivados", criticou o líder do PSDB no Senado, em discurso nesta sexta-feira

Aloysio Nunes volta a atacar gestão da Petrobras
Aloysio Nunes volta a atacar gestão da Petrobras (Foto: Geraldo Magela)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Senado - O senador Aloysio Nunes (PSDB-SP) criticou a gestão da Petrobras nos governos petistas. Segundo afirmou, ao apresentar o novo plano de negócios da empresa, a própria presidente, Graça Foster, faz uma autocrítica, pois procura corrigir erros de planejamento dos anos anteriores.

O líder do PSDB citou dois erros, considerados por ele principais, na gestão do governo petista da Petrobrás. O primeiro seria a revisão de planos de construção de plantas de refino decidida segundo critérios político-eleitorais. A desistência da venda da Refinaria Pasadena, comprada pela Petrobras na gestão de Gabrielli de Azevedo, seria o segundo erro.

Para o senador, a gestão equivocada da empresa tem custado caro aos pequenos acionistas, com a desvalorização das ações, levando a um prejuízo, desde setembro de 2010, de aproximadamente 40%.

- As ações NOs, que dão direito a voto, foram vendidas, quero lembrar, na oportunidade daquela capitalização, por R$ 29,65. Essas mesmas ações valiam, em 18 de março, segunda-feira, R$ 17,64, ou seja, um prejuízo nominal até agora de 41% - informou o senador em pronunciamento no Plenário nesta sexta-feira (22).

Aloysio Nunes ressaltou ainda a o lucro inferior da empresa brasileira em comparação com outras petrolíferas do mundo. Segundo o senador, enquanto em 2012 a Petrobras teve um lucro bruto de US$ 10,7 bilhões, a Shell alcançou, no mesmo período, um lucro de US$ 27 bilhões, e a British Petroleum, de US$ 26 bilhões.

Ele também questionou o que teria sido feito com a elevação das receitas da empresa, já que houve um aumento do preço médio do barril de petróleo desde 2003, enquanto a produção tem desacelerado. Segundo Aloysio Nunes, no governo Fernando Henrique Cardoso o Brasil aumentou em 115% a produção de petróleo. Já nos governos de Luiz Inácio Lula da Silva e de Dilma Rousseff, a produção, como informou, teve elevação de apenas 47%. E nesse período, de acordo com o senador, o petróleo quintuplicou de preço.

- O que se observa é que nas últimas gestões da Petrobras, em que a presidente Dilma esteve intimamente implicada, perderam uma oportunidade fantástica de dar ao Brasil de fato a autossuficiência na produção de petróleo e derivados – avaliou.

O parlamentar questionou ainda a baixa produtividade da empresa diante do aumento do número de seus empregados de 46 mil para 85 mil nas gestões petistas. Aloysio Nunes também afirmou ter havido erros em investimentos no refino.

- Foram feitos com muito atraso, mal planejados e utilizados de forma desastrosa. De tal forma que hoje a Petrobras é uma das grandes responsáveis pelo déficit da nossa balança comercial – afirmou.

O senador Anibal Diniz (PT-AC), em aparte ao pronunciamento de Aloysio Nunes, defendeu a gestão da empresa, dizendo que a Petrobras vai recuperar sua lucratividade em 2014.

- A Petrobras é uma empresa muito sólida. Mesmo que ela passe por um período de turbulência, não tem nenhum risco de o investidor perder com a Petrobras. A Petrobras continua sendo um grande investimento para os brasileiros – afirmou.

Após o aparte, Aloysio Nunes voltou a criticar a estratégia petista de utilização da Petrobras para segurar a inflação e disse esperar que o governo consiga corrigir seus erros.

- Tomara que o governo consiga se redimir dos erros do passado. E nós estaremos vigilantes aqui. Essa é a nossa função.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email