Aluna não recebe socorro a tempo e morre na FMU

Angelita Pinto, de 28 anos, agonizou 42 minutos na espera dos bombeiros; Faculdade em São Paulo não tinha médico ou enfermeira e não deixou que prestassem primeiros socorros, acusa família; marido José Carlos dos Santos diz que vai entrar com processo; "Foi praticamente um homicídio"

Aluna não recebe socorro a tempo e morre na FMU
Aluna não recebe socorro a tempo e morre na FMU (Foto: Edição/247)

247 – Uma estudante passou mal por volta de 21h30 desta quinta-feira e morreu dentro da unidade do Itaim Bibi da Faculdades Unidas Metropolitana (FMU), zona sul de São Paulo. Angelita Pinto, de 28 anos, cursava o 1º semestre do curso de Ciências Contábeis e sofria de arritmia cardíaca. Segundo a família, ela estava sem medicamentos há um mês por orientação médica.

A família de Angelita acusa a faculdade de omissão de socorro. A estudante aguardou o Corpo de Bombeiros por 42 minutos enquanto passava mal e a instituição, que informou não ter médico ou enfermeira naquele momento, não permitiu que colegas fizessem os primeiros socorros, conforme explicou ao jornal O Estado de S.Paulo o marido da aluna, José Carlos do Santos.

Santos conta que, quando chegou na faculdade, foi  informado pelos bombeiros, por colegas e por policiais da ausência de um profissional da saúde. Da direção da instituição, ouviu apenas "meus sentimentos". "A gente vai entrar com processo, pois isso não pode ficar assim. Foi praticamente um homicídio", disse.

Procurada pelo 247, a Faculdade não se manifestou sobre o assunto e informou que divulgará uma nota.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247