Ameaça do MDB pode impedir candidatura de Dilma

A candidatura ao Senado por Minas da ex-presidente Dilma é o motivo da aceitação e leitura por parte da Mesa da Assembleia do pedido de impeachment do governador Fernando Pimentel; o presidente, deputado Adalclever Lopes (MDB), quer ser candidato único do grupo; lideranças do governo já admitem que Dilma pode disputar uma vaga na Câmara, com o que o MDB não discorda pois a consideram ‘puxadora de votos'

Conferência Mulheres na Democracia com palestra da ex-presidente Dilma Rousseff, organizado pelo gabinete ver. Sofia Cavedon. Na foto: ex-presidente Dilma Rousseff
Conferência Mulheres na Democracia com palestra da ex-presidente Dilma Rousseff, organizado pelo gabinete ver. Sofia Cavedon. Na foto: ex-presidente Dilma Rousseff (Foto: Voney Malta)

Minas 247 – Ao aceitar o pedido de impeachment do governador Fernando Pimentel (PT), o aliado que preside a Assembleia Legislativa de Minas Gerais, deputado Adalclever Lopes (MDB) deixou claro com uma ação concreta o que vinha dizendo a interlocutores: não admitia Dilma Rousseff candidato ao Senado. Aliás, já tem um bom tempo que circula a informação que Adalclever quer ser candidato único do grupo ao Senado Federal.

O fato é que o movimento do presidente do legislativo, na semana passada, já fez com que  parlamentares, petistas e outros aliados do governo aceitem que Dilma fique fora das eleições em Minas. É que é inviável a construção de uma candidatura e de uma chapa eleitoral sem a presença do MDB. Além disso, há uma faca no pescoço de Pimentel, que é o pedido de impeachment.

O líder do governo na Assembleia, Durval Ângelo, já disse que Pimentel estaria disposto a rever a estratégia de lançar Dilma ao Senado. “Na política, você sempre tem de estar revendo as posições, e acho que tem de rever. Acho que tem de repensar”. A opção para a ex-presidente, considerada uma boa puxadora de votos, seria disputar uma cadeira na Câmara dos Deputados, o que não desagradaria o MDB.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247