Anastasia quer assistência imediata a desamparados

O governador Antonio Anastasia (PSDB) sobrevoou as áreas mais castigadas pelas chuvas em Minas Gerais; após ver de perto os estragos causados pela força das águas em Governador Valadares e Aimorés, o gestor determinou um esforço conjunto dos órgãos estaduais para apoio imediato à população atingida; segundo a Cedec, já foram registradas 18 mortes em consequência das intensas chuvas e 26 municípios decretaram situação de emergência  

O governador Antonio Anastasia (PSDB) sobrevoou as áreas mais castigadas pelas chuvas em Minas Gerais; após ver de perto os estragos causados pela força das águas em Governador Valadares e Aimorés, o gestor determinou um esforço conjunto dos órgãos estaduais para apoio imediato à população atingida; segundo a Cedec, já foram registradas 18 mortes em consequência das intensas chuvas e 26 municípios decretaram situação de emergência
 
O governador Antonio Anastasia (PSDB) sobrevoou as áreas mais castigadas pelas chuvas em Minas Gerais; após ver de perto os estragos causados pela força das águas em Governador Valadares e Aimorés, o gestor determinou um esforço conjunto dos órgãos estaduais para apoio imediato à população atingida; segundo a Cedec, já foram registradas 18 mortes em consequência das intensas chuvas e 26 municípios decretaram situação de emergência   (Foto: Romulo Faro)

Agência Minas - O governador Antonio Anastasia (PSDB) sobrevoou nesta quinta-feira (26) as áreas mais castigadas pelas chuvas em Minas Gerais, especialmente os municípios localizados no Vale do Rio Doce e Leste do Estado, entre eles, Resplendor, Itueta e Mantena. Após ver de perto os estragos causados pela força das águas em Governador Valadares e Aimorés, Anastasia determinou um esforço conjunto dos órgãos estaduais para apoio imediato à população atingida.

Em Minas, segundo a Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec), já foram registradas 18 mortes em consequência das intensas chuvas do período. Já são 26 os municípios que decretaram situação de emergência. Até esta quinta-feira, o número de desalojados chegava a 3.410 e o de desabrigados, 744. Foram destruídas 67 casas.

"A primeira coisa a se fazer agora é assistência. É preciso cestas básicas, materiais, como camas, colchões, água potável. É uma situação que já está atendida desde o primeiro dia e há um controle por parte da Defesa Civil. Depois, vem o processo mais complexo, que é o de reconstrução. O hospital de Aimorés, por exemplo, vai precisar ser praticamente reconstruído. Falava com o secretário municipal de Saúde e vamos fazê-lo em parceria com a prefeitura", afirmou o governador.

Com a expectativa de que haja uma estiagem nos próximos dias, será possível, segundo Anastasia, fazer uma avaliação do prejuízo causado pelas águas nos municípios. "Após as águas baixarem, temos de iniciar o processo de identificação de quais são os pontos críticos: na zona rural, quais pontes caíram, qual a recuperação das vias urbanas mais urgentes, em termos de rodovias, ou seja, um conhecimento que já existe por parte de nossa Defesa Civil. E, é claro, vamos alocar recursos do Estado e também solicitar recursos do governo federal", explicou o governador.

Antonio Anastasia destacou o empenho da Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (Cedec) em prestar assistência às populações atingidas e emitir alertas, além de acompanhar os municípios em situação de emergência. "A Defesa Civil do Estado está em alerta, acompanhando todas as cidades que já tiveram sua situação de emergência declarada e fazendo o acompanhamento dos municípios que estão em situação de maior dificuldade. Mas é fundamental também, mais uma vez, solicitar a dedicação e o empenho de cada cidadão, evitando as áreas de risco, acompanhando as orientações das autoridades locais e estaduais para evitarmos perdas de vidas", completou.

Prevenção

Lançado no segundo semestre deste ano pelo Governo de Minas, o Plano de Emergência Pluviométrico para o período chuvoso 2013/2014 delineou as ações de preparação e resposta em caso de desastres decorrentes das chuvas, além de promover a integração dos órgãos com responsabilidade de atuação, permitindo mais agilidade na tomada de decisões. O Plano foi desenvolvido pelo Sistema Estadual de Defesa Civil, a fim de minimizar os danos e divulgar as ações de preparação e resposta em apoio aos municípios afetados pelas chuvas.

Anastasia voltou a pedir o apoio e a participação da população de Minas Gerais nesse momento das chuvas, especialmente naquelas áreas de risco mais vulneráveis. "O principal é sempre evitar as mortes, isso é o mais importante. As áreas de risco identificadas nas cidades, especialmente nas cidades médias e maiores, devem ser evitadas a todo custo e, por isso, peço às pessoas que deixem esses locais. Eu tenho acompanhado pela imprensa e as próprias pessoas, algumas vezes, ficam temerosas de sair. Mas nessa hora, têm de pensar que o maior patrimônio é a vida", alertou.

Os municípios mineiros que decretaram situação de emergência são Ataléia, Vargem Alegre, Santos Dumont, Rio Pardo de Minas, Comercinho, Capelinha, Sardoá, Itambacuri, Mantena, Ponto Chique, Bonfinópolis de Minas, Mathias Lobato, Santo Antônio do Itambé, São Geraldo do Baixio, Galiléia, Tumiritinga, Jampruca, Ubá, Frei Inocêncio, Padre Paraíso, Timóteo, São Geraldo da Piedade, São João da Manteninha, Crisólita, Santa Rita do Itueto e Aimorés.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247