Aníbal volta a atacar Cardozo: 'aloprado'

Secretário de Energia de São Paulo diz não temer processo movido pelo ministro da Justiça e reafirma que Cardozo participou de operação para “forjar” relatório encaminhado à Polícia Federal apontando o envolvimento de tucanos no escândalo do cartel do Metrô de São Paulo; ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer acusa três secretários de Alckmin – Edson Aparecido, Rodrigo Garcia e José Aníbal – de receber propina do esquema

Secretário de Energia de São Paulo diz não temer processo movido pelo ministro da Justiça e reafirma que Cardozo participou de operação para “forjar” relatório encaminhado à Polícia Federal apontando o envolvimento de tucanos no escândalo do cartel do Metrô de São Paulo; ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer acusa três secretários de Alckmin – Edson Aparecido, Rodrigo Garcia e José Aníbal – de receber propina do esquema
Secretário de Energia de São Paulo diz não temer processo movido pelo ministro da Justiça e reafirma que Cardozo participou de operação para “forjar” relatório encaminhado à Polícia Federal apontando o envolvimento de tucanos no escândalo do cartel do Metrô de São Paulo; ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer acusa três secretários de Alckmin – Edson Aparecido, Rodrigo Garcia e José Aníbal – de receber propina do esquema (Foto: Roberta Namour)

247 – O processo movido pelo ministro da Justiça, Eduardo Cardozo, por injuria não freou a ira do secretário de Energia de São Paulo, José Aníbal. Ele reafirmou nesta segunda-feira, que Cardozo tentou "forjar" relatório encaminhado à Polícia Federal apontando o envolvimento de tucanos no escândalo do cartel do Metrô de São Paulo. "É delinquência o que fizeram contra nós, uma coisa de aloprados", afirmou Aníbal.

O documento em questão é um relatório do ex-diretor da Siemens Everton Rheinheimer que acusa três secretários de Alckmin – Edson Aparecido, Rodrigo Garcia e José Aníbal – de receber propina do esquema. Além disso, envolve o deputado federal Arnaldo Jardim (PPS-SP) e o estadual Campos Machado (PTB).

O ministro da Justiça apresentou queixa-crime contra o tucano no Tribunal Regional Federal da 3ª Região por ter utilizado "expressões injuriosas" sobre ele para rebater denúncias de corrupção em licitações de metrô do governo de São Paulo.

"O ministro de Estado da Justiça não pode aceitar ser chamado de 'vigarista' e 'sonso', no sentido de dissimulado. [Não pode] aceitar ser chamado de membro de quadrilha e não reagir, ele não defende seu cargo, porque esse é um cargo de Estado. Acusar um ministro de vigarista é inaceitável e atinge o próprio cargo", disse Cardozo em entrevista coletiva.

Aníbal banca acusações: "Mantenho tudo o que disse e acrescento: o ministro da Justiça deveria ter compostura. Não tenho temor de processo. Tenho pena dele", insistiu o secretário de Energia.

O secretário tucano sugeriu, ainda, que Rheinheimer foi instruído pelo PT. "Não vou descansar enquanto não puser esse desqualificado na cadeia", disse ele. "Ninguém consegue encontrar esse bandido. Só o PT".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247