Ao perdoar dívidas de crimes ambientais, Temer decreta que o crime compensa, diz Valmir

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) criticou o presidente Michel Temer (PMDB) por mais um “agrado” à bancada ruralista ao assinar um decreto perdoando 60% das dívidas que os ruralistas têm por crimes ambientais; para o parlamentar, perdão tem relação com a chegada da segunda denúncia ao plenário e o presidente precisa dos votos dos ruralistas; “foi assim na questão do trabalho escravo, na reserva amazônica e agora é a questão ambiental. Temer diz que, na questão ambiental, o crime compensa”, reclamou Valmir Assunção

O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) criticou o presidente Michel Temer (PMDB) por mais um “agrado” à bancada ruralista ao assinar um decreto perdoando 60% das dívidas que os ruralistas têm por crimes ambientais; para o parlamentar, perdão tem relação com a chegada da segunda denúncia ao plenário e o presidente precisa dos votos dos ruralistas; “foi assim na questão do trabalho escravo, na reserva amazônica e agora é a questão ambiental. Temer diz que, na questão ambiental, o crime compensa”, reclamou Valmir Assunção
O deputado federal Valmir Assunção (PT-BA) criticou o presidente Michel Temer (PMDB) por mais um “agrado” à bancada ruralista ao assinar um decreto perdoando 60% das dívidas que os ruralistas têm por crimes ambientais; para o parlamentar, perdão tem relação com a chegada da segunda denúncia ao plenário e o presidente precisa dos votos dos ruralistas; “foi assim na questão do trabalho escravo, na reserva amazônica e agora é a questão ambiental. Temer diz que, na questão ambiental, o crime compensa”, reclamou Valmir Assunção (Foto: Voney Malta)

Bahia 247 - Mais uma decisão do governo Temer foi criticada pelo deputado federal Valmir Assunção (PT-BA). No último domingo (22), o petista disse que o presidente "fez mais um agrado à bancada ruralista e assinou um decreto [no último sábado, 21], perdoando 60% das dívidas que os ruralistas têm por questões de crimes ambientais". Conforme Valmir, o governo decreta perdoando 60% e espera que eles paguem outros 40% com compensação ambiental como reflorestamento.

"Isso porque a segunda denúncia chega no plenário quarta-feira e ele precisa da bancada ruralista, são mais de 200 votos somente de ruralistas. Por isso, mais uma vez ele ajuda, e defende através do decreto a bancada ruralista, foi assim na questão do trabalho escravo, na reserva amazônica, quando perdoou R$ 37 bilhões dos fazendeiros e agora é a questão ambiental. Temer diz que, na questão ambiental, o crime compensa".

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247