Após lambança no caso Morato, Secretaria adota novas regras para locais de crimes

Após as falhas relacionadas à preservação da integridade do local onde o corpo do empresário Paulo César Morato, em um motel de Olinda, a Secretaria de Defesa Social baixou uma portaria adotando novos procedimentos adotados em locais de crimes ou de mortes a serem esclarecidas; grupo designado pela cúpula da SDS terá 15 dias para apresentar propostas de mudanças que devem ser adotadas pelos profissionais; evido aos erros e falhas registrados no decorrer das investigações acerca da morte de Morato, a especulação é que deverão ser promovidas mudanças na gestão de áreas estratégicas; Morato era apontado como laranja no esquema de empresas de fachada montadas para financiar campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB)

Após as falhas relacionadas à preservação da integridade do local onde o corpo do empresário Paulo César Morato, em um motel de Olinda, a Secretaria de Defesa Social baixou uma portaria adotando novos procedimentos adotados em locais de crimes ou de mortes a serem esclarecidas; grupo designado pela cúpula da SDS terá 15 dias para apresentar propostas de mudanças que devem ser adotadas pelos profissionais; evido aos erros e falhas registrados no decorrer das investigações acerca da morte de Morato, a especulação é que deverão ser promovidas mudanças na gestão de áreas estratégicas; Morato era apontado como laranja no esquema de empresas de fachada montadas para financiar campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB)
Após as falhas relacionadas à preservação da integridade do local onde o corpo do empresário Paulo César Morato, em um motel de Olinda, a Secretaria de Defesa Social baixou uma portaria adotando novos procedimentos adotados em locais de crimes ou de mortes a serem esclarecidas; grupo designado pela cúpula da SDS terá 15 dias para apresentar propostas de mudanças que devem ser adotadas pelos profissionais; evido aos erros e falhas registrados no decorrer das investigações acerca da morte de Morato, a especulação é que deverão ser promovidas mudanças na gestão de áreas estratégicas; Morato era apontado como laranja no esquema de empresas de fachada montadas para financiar campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB) (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - Após as falhas relacionadas à preservação da integridade do local onde o corpo do empresário Paulo César Morato, em um motel de Olinda, a Secretaria de Defesa Social baixou uma portaria adotando novos procedimentos adotados em locais de crimes ou de mortes a serem esclarecidas. Morato era procurado pela Policia Federal no âmbito da Operação Turbulência, desdobramento da Lava Jato, e era apontado como laranja no esquema de empresas de fachada montadas para financiar campanhas políticas do ex-governador Eduardo Campos (PSB).

Uma das principais falhas – que recebeu duras críticas de organizações ligadas à policia e a perícia – foi o fato do cadáver ter sido colocado dentro de um saco sem que o isolamento fosse providenciado. A primeira equipe que chegou ao local avaliou inicialmente a morte como sendo por causas naturais.

Quando a equipe do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) chegou ao motel, o cenário havia sido isolado, mas possíveis provas poderiam estar comprometidas. O perito papiloscopista fotografou o local e seguiu um procedimento padrão em casos do gênero, que era retornar ao local no dia seguinte para realizar uma perícia complementar. Mas, por determinação da SDS, a perícia foi suspensa.

Com a nova portaria, um grupo designado pela cúpula da SDS terá 15 dias para apresentar propostas de mudanças que devem ser adotadas pelos profissionais em locais de crimes ou de mortes a serem esclarecidas.

Devido aos erros e falhas registrados no decorrer das investigações acerca da morte de Morato, a especulação é que deverão ser promovidas mudanças na gestão de áreas estratégicas. As mudanças, caso aconteçam, serão realizadas de forma gradual.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247