Ato de Centrais defende direitos sociais e trabalhistas

Integrantes de centrais sindicais que atuam em Alagoas fizeram um ato público com caminhada pelas ruas do Centro de Maceió em favor da defesa dos direitos sociais e trabalhistas e pela retomada do crescimento econômico; sindicalistas também lançaram uma carta aberta à população na qual argumentam as razões de serem contra a proposta de privatização do setor elétrico nacional 

Integrantes de centrais sindicais que atuam em Alagoas fizeram um ato público com caminhada pelas ruas do Centro de Maceió em favor da defesa dos direitos sociais e trabalhistas e pela retomada do crescimento econômico; sindicalistas também lançaram uma carta aberta à população na qual argumentam as razões de serem contra a proposta de privatização do setor elétrico nacional 
Integrantes de centrais sindicais que atuam em Alagoas fizeram um ato público com caminhada pelas ruas do Centro de Maceió em favor da defesa dos direitos sociais e trabalhistas e pela retomada do crescimento econômico; sindicalistas também lançaram uma carta aberta à população na qual argumentam as razões de serem contra a proposta de privatização do setor elétrico nacional  (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Integrantes de centrais sindicais que atuam em Alagoas fizeram um ato público com caminhada pelas ruas do centro de Maceió em favor da defesa dos direitos sociais e trabalhistas e pela retomada do crescimento econômico, além do fortalecimento da indústria com foco na geração de empregos. O protesto deixou o trânsito lento na parte baixa da cidade.

Com cartazes contendo mensagens em favor da democracia e contra reformas trabalhistas e previdenciária, o movimento seguiu falando palavras de ordem e pedindo o apoio da população para se posicionar contra estas prováveis mudanças.

Os sindicalistas também lançaram uma carta aberta à população na qual argumentam as razões de serem contra a proposta de privatização do setor elétrico nacional, com o possível leilão da Eletrobras Distribuição Alagoas, marcado para 2017, conforme anúncio dado pelo governo federal este mês. 

Na avaliação das centrais sindicais, a medida da União vai desencadear mais desemprego, precarização do trabalho, má qualidade dos serviços e tarifas elevadas.

O grupo fez caminhada a partir da Praça dos Martírios, seguiu pela Rua Cincinato Pinto, passou pela Praça Marechal Deodoro e continuou pela Rua Barão de Penedo, no Centro. Os motoristas precisaram ter paciência para o tráfego na região.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247