ATP já planeja aumento da passagem de ônibus

Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) espera pela definição do dissídio dos motoristas de ônibus para protocolar o pedido de reajuste das passagens em Porto Alegre; item é um dos que compõem o cálculo da tarifa; em junho do ano passado, manifestações de rua impediram que o preço da passagem saltasse de R$ 2,80 para R$ 3,05

Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) espera pela definição do dissídio dos motoristas de ônibus para protocolar o pedido de reajuste das passagens em Porto Alegre; item é um dos que compõem o cálculo da tarifa; em junho do ano passado, manifestações de rua impediram que o preço da passagem saltasse de R$ 2,80 para R$ 3,05
Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) espera pela definição do dissídio dos motoristas de ônibus para protocolar o pedido de reajuste das passagens em Porto Alegre; item é um dos que compõem o cálculo da tarifa; em junho do ano passado, manifestações de rua impediram que o preço da passagem saltasse de R$ 2,80 para R$ 3,05 (Foto: José Barbacena)

Lorena Paim

Sul21 - A Associação dos Transportadores de Passageiros (ATP) espera pela definição do dissídio dos motoristas de ônibus para protocolar o pedido de reajuste das passagens em Porto Alegre. Esse item é um dos que compõem o cálculo da tarifa. Os motoristas querem 15% de aumento e a data-base da categoria é primeiro de fevereiro. Nesta quarta-feira (8), segundo o Sindicato dos Rodoviários, ocorrerá a primeira reunião com os empresários para discutir a reivindicação salarial.

Ainda há outro fator que interfere na questão. O Tribunal de Contas do Estado (TCE) está analisando, com uma inspeção especial, a fórmula de cálculo das tarifas e outros assuntos relativos ao transporte da Capital. O TCE fez uma inspeção no cálculo, a qual resultou em vários apontamentos. Paralelamente, o Ministério Público de Contas também quer esclarecimentos.

A Empresa Pública de Transporte e Circulação (EPTC), chamada pelo TCE a dar esclarecimentos, informa que responderá a todos os questionamentos dentro dos prazos estabelecidos. Ainda está dentro do limite legal de 30 dias (que termina dia 18) para dar as explicações. “Ressaltamos que a tarifa está congelada e só será recalculada após julgamento do TCE sobre o tema”, diz a nota distribuída nesta segunda-feira (6) pela EPTC.

Portanto, há vários desdobramentos a serem solucionados antes de se pensar em passagens de ônibus mais caras. A tarifa atual é de R$ 2,80. Grandes manifestações de rua no mês de abril, lideradas por jovens, impediram que o valor fosse a R$ 3,05. Os protestos, que começaram em Porto Alegre, estenderam-se pelo país, tendo seu auge em junho, quando milhares de pessoas ampliaram o leque de reivindicações.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247