Audiência Pública discute novo remédios para tratamento do câncer

Audiência teve como objetivo discutir e esclarecer a população sobre os efeitos e as possibilidades deste novo medicamento, a fosfoetanolamina; "Precisamos favorecer a vida e este medicamento é a esperança que temos no momento", afirma o vereador Thiago Albernaz (PSDB), idealizador do evento; representante do Movimento em Prol da Liberação, Produção e Distribuição da Fosfoetanolamina em Goiás, Reginaldo Barbosa, cuja esposa está em tratamento com câncer no cérebro, mais de 40 mil pessoas em todo o país já foram beneficiadas com o uso do medicamento; 

Audiência teve como objetivo discutir e esclarecer a população sobre os efeitos e as possibilidades deste novo medicamento, a fosfoetanolamina; "Precisamos favorecer a vida e este medicamento é a esperança que temos no momento", afirma o vereador Thiago Albernaz (PSDB), idealizador do evento; representante do Movimento em Prol da Liberação, Produção e Distribuição da Fosfoetanolamina em Goiás, Reginaldo Barbosa, cuja esposa está em tratamento com câncer no cérebro, mais de 40 mil pessoas em todo o país já foram beneficiadas com o uso do medicamento; 
Audiência teve como objetivo discutir e esclarecer a população sobre os efeitos e as possibilidades deste novo medicamento, a fosfoetanolamina; "Precisamos favorecer a vida e este medicamento é a esperança que temos no momento", afirma o vereador Thiago Albernaz (PSDB), idealizador do evento; representante do Movimento em Prol da Liberação, Produção e Distribuição da Fosfoetanolamina em Goiás, Reginaldo Barbosa, cuja esposa está em tratamento com câncer no cérebro, mais de 40 mil pessoas em todo o país já foram beneficiadas com o uso do medicamento;  (Foto: Realle Palazzo-Martini)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - Iniciativa do vereador Thiago Albernaz (PSDB), foi na terça-feira (08), Audiência Pública para debater o uso do medicamento fosfoetanolamina. O evento foi realizado na Câmara Municipal

Segundo informações do JusBrasil, a fosfoetanolamina é uma substância produzida pelo corpo humano e pode ter a função antitumoral, possuindo ação antiproliferativa e estimula a apoptose, que seria uma “morte celular programada”, ou seja, impede que o câncer se espalhe e produz a morte de suas células.

Para Thiago Albernaz, a audiência teve como objetivo “trazer a discussão para Goiânia, esclarecendo a população sobre os efeitos e as possibilidades deste novo medicamento”. “Precisamos, juntos, favorecer a vida e este medicamento é a esperança que temos no momento”, concluiu.

Representante do Movimento em Prol da Liberação, Produção e Distribuição da Fosfoetanolamina em Goiás, Reginaldo Barbosa, cuja esposa está em tratamento com câncer no cérebro, mais de 40 mil pessoas em todo o país já foram beneficiadas com o uso do medicamento. Em alguns casos, afirmou, houve melhoria na qualidade de vida e em outros, até a cura do câncer.

Residente em Rio Branco, no Acre, Umbelina Dias Teixeira está em Goiânia há dois anos e faz tratamento para câncer de ovário . “Este novo medicamento é minha única esperança. Não só a minha, mas a de milhares de pessoas que sofrem de câncer”, diz a senhora que é paciente do Ingoh.

Também estiveram presentes no evento: Eliane Rodrigues (gerente da área de produtos do departamento de Vigilância Sanitária da Secretaria de Estado de Saúde), Paulo Marcos de Campos Batista( advogado), Alexandre João Meneghini( da Associação de Combate ao Câncer de Goiás e diversos portadores de câncer.

Os estudos com esta substância foram iniciados no começo dos Anos 90 pelo professor Gilberto Orivaldo Chierice, no Instituto de Química de São Carlos (USP). Ele descreve a ação da substância como uma espécie de marcador, sinalizando para o corpo sobre a célula cancerosa, deixando as mesmas mais visíveis para que o sistema imunológico a possa combater.

A pesquisa que vem sendo realizada há 20 anos, e conta com dissertações de mestrado apontando resultados positivos na contenção e redução de tumores, através da utilização da droga em animais, e atualmente mais de 800 pessoas se tratam com o medicamento tendo resultados positivos no tratamento.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247