Audiência pública discute projeto que aumenta custas e taxas judiciais

O aumento das custas e taxas judiciais proposto pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará será debatido hoje, à tarde, na Assembleia Legislativa. O projeto enviado pelo TJCE ao parlamento colocou em confronto a OAB-Ceará e o Tribunal. Foram convidados para a audiência a presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Iracema Vale; o presidente da OAB, Marcelo Mota; o procurador de Justiça do Estado, Plácido Rios, e a defensora pública geral do Estado, Mariana Lobo. Na terça-feira(11), a mobilização da OAB, conseguiu tirar o pedido de urgência da pauta de votação da Assembleia e agendar a audiência pública. Para hoje, a OAB promete fazem outra grande mobilização da categoria

O aumento das custas e taxas judiciais proposto pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará será debatido hoje, à tarde, na Assembleia Legislativa. O projeto enviado pelo TJCE ao parlamento colocou em confronto a OAB-Ceará e o Tribunal. Foram convidados para a audiência a presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Iracema Vale; o presidente da OAB, Marcelo Mota; o procurador de Justiça do Estado, Plácido Rios, e a defensora pública geral do Estado, Mariana Lobo. Na terça-feira(11), a mobilização da OAB, conseguiu tirar o pedido de urgência da pauta de votação da Assembleia e agendar a audiência pública. Para hoje, a OAB promete fazem outra grande mobilização da categoria
O aumento das custas e taxas judiciais proposto pelo Tribunal de Justiça do Estado do Ceará será debatido hoje, à tarde, na Assembleia Legislativa. O projeto enviado pelo TJCE ao parlamento colocou em confronto a OAB-Ceará e o Tribunal. Foram convidados para a audiência a presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Iracema Vale; o presidente da OAB, Marcelo Mota; o procurador de Justiça do Estado, Plácido Rios, e a defensora pública geral do Estado, Mariana Lobo. Na terça-feira(11), a mobilização da OAB, conseguiu tirar o pedido de urgência da pauta de votação da Assembleia e agendar a audiência pública. Para hoje, a OAB promete fazem outra grande mobilização da categoria (Foto: Fatima 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - A Comissão de Constituição, Justiça e Redação realiza, nesta quinta-feira (13/10), a partir das 15 horas, uma audiência pública para discutir os efeitos da mensagem nº 05/2016, de autoria do Tribunal de Justiça do Estado, que altera o regime de custas e taxas judiciais. 

Foram convidados para o debate a presidente do Tribunal de Justiça do Estado, Iracema Vale; o presidente da OAB, Marcelo Mota; o procurador de Justiça do Estado, Plácido Rios, e a defensora pública geral do Estado, Mariana Lobo.  

A matéria colocou a OAB-Ce e o TJCE em confronto. A OAB tem se posicionado frontalmente contra o projeto. “O acesso ao Judiciário é um direito consagrado na Constituição Federal. Nós, povo do Estado do Ceará, não podemos aceitar essa majoração e devemos nos unir contra esse desserviço a sociedade cearense e à advocacia. A OAB Ceará não medirá esforços para defender os anseios sociais e combater essa injustiça”, afirmou o presidente Marcelo Mota.

Para a vice-presidente da OAB-Ce, Roberta Vasques, o aumento vai inviabilizar o acesso à Justiça e segundo ela, a OAB foi pega de surpresa com o envio da mensagem ao legislativo. “O aumento vai inviabilizar o acesso à Justiça. Fomos pegos de surpresa com a notícia que o TJ, de forma sorrateira, enviou para a Assembleia a mensagem em caráter de urgência para aumentar as custas judiciais”, afirmou a advogada.

Na terça-feira(11), a mobilização dos advogados, através da OAB, conseguiu tirar o pedido de urgência da pauta de votação e agendar a audiência pública. Para hoje, a OAB promete fazem também outra grande mobilização da categoria.

Em entrevista ao jornal O POVO, o secretário de finanças do TJCE, Alex Araújo, disse que o Tribunal não precisa se submeter à discussão com a OAB a que a diretoria da entidade rompeu com um acordo de diálogo, entrando com a Ação Direta de Inconstitucionalidade do projeto. “Num diálogo, não adianta buscar recursos beligerantes assim. Não adianta um jogar areia nos olhos do outro. Por que diabos preciso me submeter à discussão com a OAB se eles entram com recurso judicial, para declarar guerra?” E complementou afirmando que o TJ-CE “tem independência” e que “não acredita que é preciso fazer esse diálogo prévio”, já que “o histórico (da OAB) diz que não há respeito”.

 

 

 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247