Belivaldo: 'governo não deixou de dialogar com sindicatos'

O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) afirmou ontem que a administração estadual está dialogando com todos os sindicatos para apresentar, “de forma transparente”, a situação financeira do Estado e viabilizar o atendimento das reivindicações dos servidores que não estejam atreladas a reajuste salarial; ele alertou que o momento é de “recessão econômica”; “É bom ressaltar que não deixamos de dialogar em nenhum momento. Nunca estivemos de portas fechadas, mas sabemos que podemos avançar um pouco mais. Na semana passada, recebemos 27 sindicatos. E ontem (segunda) recebemos o Sintese. O que queremos é agrupar todos os sindicatos numa única mesa de negociação", disse

O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) afirmou ontem que a administração estadual está dialogando com todos os sindicatos para apresentar, “de forma transparente”, a situação financeira do Estado e viabilizar o atendimento das reivindicações dos servidores que não estejam atreladas a reajuste salarial; ele alertou que o momento é de “recessão econômica”; “É bom ressaltar que não deixamos de dialogar em nenhum momento. Nunca estivemos de portas fechadas, mas sabemos que podemos avançar um pouco mais. Na semana passada, recebemos 27 sindicatos. E ontem (segunda) recebemos o Sintese. O que queremos é agrupar todos os sindicatos numa única mesa de negociação", disse
O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) afirmou ontem que a administração estadual está dialogando com todos os sindicatos para apresentar, “de forma transparente”, a situação financeira do Estado e viabilizar o atendimento das reivindicações dos servidores que não estejam atreladas a reajuste salarial; ele alertou que o momento é de “recessão econômica”; “É bom ressaltar que não deixamos de dialogar em nenhum momento. Nunca estivemos de portas fechadas, mas sabemos que podemos avançar um pouco mais. Na semana passada, recebemos 27 sindicatos. E ontem (segunda) recebemos o Sintese. O que queremos é agrupar todos os sindicatos numa única mesa de negociação", disse (Foto: Valter Lima)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Sergipe 247 - O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) afirmou ontem que a administração estadual está dialogando com todos os sindicatos para apresentar, “de forma transparente”, a situação financeira do Estado e viabilizar o atendimento das reivindicações dos servidores que não estejam atreladas a reajuste salarial. Ele alertou que o momento é de “recessão econômica”.

“É bom ressaltar que não deixamos de dialogar em nenhum momento. Nunca estivemos de portas fechadas, mas sabemos que podemos avançar um pouco mais. Na semana passada, recebemos 27 sindicatos. E ontem (segunda) recebemos o Sintese. O que queremos é agrupar todos os sindicatos numa única mesa de negociação. Nosso objetivo é anotar todas as reivindicações em dois blocos: um que trate de assuntos que tenham impacto financeiro e outro que não tenham a ver com finanças. Não adiantar se reunir para enganar. A orientação do governador é dialogar de forma transparente, não esconder nada, e atender aquilo que for possível”, afirmou Chagas, em entrevista à rádio 103 FM.

Neste contexto, Belivaldo defendeu a aprovação, por parte da Assembleia Legislativa, do projeto de lei que trata do uso dos depósitos judiciais, para complementação da folha de pagamento da Previdência Social. Atualmente, o governo tem feito um aporte mensal de R$ 70 milhões do orçamento do Estado para pagar a aposentados e pensionistas.

“Sem essa ajuda do projeto dos depósitos judiciais não teremos, em hipótese alguma, como voltar a pagar os salários em dia”, alertou o vice-governador. Ele lembrou que, no final do ano passado, o governo estadual só não fechou suas contas com orçamento negativo graças à antecipação de mais de R$ 330 milhões dos royalties. Belivaldo pediu o apoio dos deputados estaduais na aprovação do projeto de lei que autoriza o uso dos depósitos judiciais. A nova versão da propositura deve chegar ao parlamento ainda nesta semana.

O vice-governador Belivaldo Chagas (PSB) afirmou ontem que a administração estadual está dialogando com todos os sindicatos para apresentar, “de forma transparente”, a situação financeira do Estado e viabilizar o atendimento das reivindicações dos servidores que não estejam atreladas a reajuste salarial. Ele alertou que o momento é de “recessão econômica”.

“É bom ressaltar que não deixamos de dialogar em nenhum momento. Nunca estivemos de portas fechadas, mas sabemos que podemos avançar um pouco mais. Na semana passada, recebemos 27 sindicatos. E ontem (segunda) recebemos o Sintese. O que queremos é agrupar todos os sindicatos numa única mesa de negociação. Nosso objetivo é anotar todas as reivindicações em dois blocos: um que trate de assuntos que tenham impacto financeiro e outro que não tenham a ver com finanças. Não adiantar se reunir para enganar. A orientação do governador é dialogar de forma transparente, não esconder nada, e atender aquilo que for possível”, afirmou Chagas, em entrevista à rádio 103 FM.

Neste contexto, Belivaldo defendeu a aprovação, por parte da Assembleia Legislativa, do projeto de lei que trata do uso dos depósitos judiciais, para complementação da folha de pagamento da Previdência Social. Atualmente, o governo tem feito um aporte mensal de R$ 70 milhões do orçamento do Estado para pagar a aposentados e pensionistas.

“Sem essa ajuda do projeto dos depósitos judiciais não teremos, em hipótese alguma, como voltar a pagar os salários em dia”, alertou o vice-governador. Ele lembrou que, no final do ano passado, o governo estadual só não fechou suas contas com orçamento negativo graças à antecipação de mais de R$ 330 milhões dos royalties. Belivaldo pediu o apoio dos deputados estaduais na aprovação do projeto de lei que autoriza o uso dos depósitos judiciais. A nova versão da propositura deve chegar ao parlamento ainda nesta semana.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email