Blindado, Alckmin depôs em sigilo ao STJ antes de ficar de fora da Lava Jato

O ex-governador Geraldo Alckmin prestou depoimento em sigilo ao STJ antes que este enviasse o caso para a Justiça Eleitoral; a ministra Nancy Andrighi manteve o pedido de investigação em absoluto sigilo e nem as partes tiveram aceso aos autos; o  cunhado de Alckmin, Adhemar Cesar Ribeiro, também prestou depoimento; ele é acusado de desviar R$ 10,7 milhões nas campanhas de Alckmin nos anos de 2010 e 2014

alckmin
alckmin (Foto: Gustavo Conde)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – O ex-governador Geraldo Alckmin prestou depoimento em sigilo ao STJ antes que este enviasse o caso para a Justiça Eleitoral. A ministra Nancy Andrighi manteve o pedido de investigação em absoluto sigilo e nem as partes tiveram aceso aos autos. O cunhado de Alckmin, Adhemar Cesar Ribeiro, também prestou depoimento. Ele é acusado de desviar R$ 10,7 milhões nas campanhas de Alckmin nos anos de 2010 e 2014.

“Antes de encaminhar o caso do presidenciável Geraldo Alckmin à Justiça Eleitoral, o STJ abriu inquérito e colheu depoimento do tucano por escrito. O pedido de investigação foi aceito pela ministra Nancy Andrighi em novembro e permanece sob sigilo. Nem mesmo as partes tiveram acesso completo aos autos.

Também foram chamados a se explicar Adhemar Cesar Ribeiro, cunhado de Alckmin, e o secretário estadual Marcos Monteiro, ambos acusados de operacionalizar R$ 10,7 milhões em caixa dois nas campanhas do ex-governador de SP em 2010 e 2014.”

Veja mais aqui.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247