BNDES aprova R$ 630,5 mi para o Porto de Pecém

Os recursos serão investidos no projeto de expansão do Porto de Pecém, em São Gonçalo do Amarante (CE); com a aprovação do financiamento, o banco atinge 90% de participação no empreendimento, orçado em R$ 700,5 milhões; a verba liberada corresponde à segunda etapa de ampliação do porto e, segundo o BNDES, os investimentos aplicados no Completo Portuário e Industrial do Pecém totalizam R$ 1,1 bilhão

Os recursos serão investidos no projeto de expansão do Porto de Pecém, em São Gonçalo do Amarante (CE); com a aprovação do financiamento, o banco atinge 90% de participação no empreendimento, orçado em R$ 700,5 milhões; a verba liberada corresponde à segunda etapa de ampliação do porto e, segundo o BNDES, os investimentos aplicados no Completo Portuário e Industrial do Pecém totalizam R$ 1,1 bilhão
Os recursos serão investidos no projeto de expansão do Porto de Pecém, em São Gonçalo do Amarante (CE); com a aprovação do financiamento, o banco atinge 90% de participação no empreendimento, orçado em R$ 700,5 milhões; a verba liberada corresponde à segunda etapa de ampliação do porto e, segundo o BNDES, os investimentos aplicados no Completo Portuário e Industrial do Pecém totalizam R$ 1,1 bilhão (Foto: Sheila Lopes)

Pernambuco 247 - O Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) aprovou um financiamento de R$ 630,5 milhões, que serão investidos no projeto de expansão do Porto de Pecém, em São Gonçalo do Amarante (CE). Com a aprovação do financiamento, o banco atinge 90% de participação no empreendimento, orçado em R$ 700,5 milhões. A verba liberada corresponde à segunda etapa de ampliação do porto e, segundo o BNDES, os investimentos aplicados no Completo Portuário e Industrial do Pecém totalizam R$ 1,1 bilhão.

No projeto, estão previstas construções de dois berços de atracação, por meio de ampliação de 600 metros do cais acostável existente no Terminal de Múltiplo Uso; uma retroárea de 69 mil metros quadrados; uma nova ponte de acesso, com 1.520 metros de extensão; alargamento transversal de 33 metros do quebra-mar existente, bem como a execução de obras complementares. Com a expansão, o porto deve ter um crescimento de em níveis de atividade e competitividade. Além disso, o projeto permitirá que o Porto atenda à demanda da Companhia Siderúrgica do Pecém, que está sendo dentro do Complexo.

Os novos recursos liberados pelo BMDES se somam os que já haviam sido liberados entre os anos de 2009 e 2013, totalizando R$ 1,1 bilhão. Foram R$ 276 milhões, em 2009, para a implantação do Terminal de Múltiplo Uso, que já se encontra em operação, com capacidade de movimentar 500 mil TEUs (unidade que corresponde a 1 contêiner de 20 pés) por ano. Em 2010, o banco emprestou R$ 120,6 milhões para aquisição e instalação de um sistema que descarga e transporta granéis sólidos, como correias transportadoras e descarregador de navios. Já funcionando, o sistema é capaz de transportar 2.400 toneladas/hora.

Pecém é considerado um ponto de macro e microlocalização, devido à proximidade com o hemisfério Norte e à falta de sujeição à mudança de marés. Em 2012, a movimentação de cargas dentro do complexo foi de 4,15 milhões de toneladas. Entretanto, com o projeto de expansão, estima-se que o transporte ultrapasse 45,2 milhões de toneladas até 2016 e 83,3 milhões até 2020.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247