Bolsonarista vira réu por homicídio qualificado pela morte de Moa do Katendê

O apoiador do candidato Jair Bolsonaro, Paulo Sérgio Ferreira de Santana, se tornou réu por homicídio duplamente qualificado epal morte do mestre de capoeira Moa do Katendê, em Salvador; pela morte de Moa, Santana é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima; já por ferir o primo da vítima, Germino do Amor Divino Pereira, de 51 anos, que tentou defender o capoeirista das agressões, o bolsonarista é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado

Bolsonarista vira réu por homicídio qualificado pela morte de Moa do Katendê
Bolsonarista vira réu por homicídio qualificado pela morte de Moa do Katendê
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Bahia 247 - O apoiador do candidato Jair Bolsonaro, Paulo Sérgio Ferreira de Santana, se tornou réu por homicídio duplamente qualificado pela morte do mestre de capoeira Moa do Katendê, em Salvador. 

A denúncia do Ministério Público contra Santana foi recebida pela Justiça nessa segunda-feira, 22. Pela morte de Moa, Paulo Sérgio Ferreira de Santana, de 36 anos, é acusado de homicídio duplamente qualificado, por motivo fútil e impossibilidade de defesa da vítima. Já por ferir o primo da vítima, Germino do Amor Divino Pereira, de 51 anos, que tentou defender o capoeirista das agressões, o bolsonarista é acusado de tentativa de homicídio duplamente qualificado.

O caso está no 1º Juízo da 1ª Vara do Tribunal do Júri. De acordo com o TJ-BA, o processo está no início e, somente após a instrução com oitiva de todas as testemunhas, tanto de acusação quanto de defesa, e interrogatório do réu, é que se define se ele vai ou não a júri popular.

Moa do Katendê foi assassinado com 12 facadas no último dia 8 de outubro, após ter declarado voto no candidato do PT a presidente, Fernando Haddad. Desde que morreu, Moa do Katendê foi homenageado por diversos grupos culturais e artistas brasileiros e internacionais. Nomes como Gilberto Gil, Caetano e Roger Waters prestaram tributo ao capoeirista. Nesta terça-feira, o capoeirista ganhou um documentário.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247