Bordoni acusa Perillo de acerto de R$ 120 mil

"Na última campanha, em acertei diretamente com Marconi, no escritório político", disse jornalista; ele alega ter sido pago com dinheiro de empresa laranja de Carlinhos Cachoeira, para fazer campanha de rádio; "Ele acertou R$ 120 mil, mais R$ 50 mil como bônus por vitória"

Bordoni acusa Perillo de acerto de R$ 120 mil
Bordoni acusa Perillo de acerto de R$ 120 mil (Foto: Edição/247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Acusado de mentiroso pelo governador Marconi Perillo, o jornalista Luís Carlos Bordoni deu novos detalhes sobre as negociações que resultaram no pagamento a ele, por uma empresa laranja de Carlinhos Cachoeira, de R$ 90 mil por serviços prestados na campanha eleitoral de Perillo, em 2010. O acerto foi feito, segundo Bordoni, diretamente com o então candidato a governador. A nova acusação sobre Perillo foi feita em entrevista à TV Anhanguera, e tem tudo para repercutir, à noite, no Jornal Nacional, da rede Globo.

Abaixo, notícia do portal Diário de Goiás sobre a denúncia:

Diário de Goiás _ALTAIR TAVARES - Em entrevista à TV Anhanguera, veiculada no Bom dia Goiás de hoje, o jornalista Luís Carlos Bordoni contestou a versão da assessoria do governador Marconi Perillo, sobre o pagamento de dívida de prestação de serviços na campanha eleitoral de 2010.

Via telefone, Bordoni detalhou detalhes da negociação que, segundo ele, foi feita diretamente com o então candidato a governador, Marconi Perillo:

- "A última campanha eu acertei diretamente com ele, no escritório político dele, na Ricardo Paranhos (alameda). Ele me chamou na sala isolada e acertamos os detalhes. Eu havia pedido R$ 200 mil. Ele pediu a redução par R$ 120 mil, mais um bônus de R$ 50 mil em caso de vitória.

Quem pediu o número da conta foi o Seu Lúcio, por isso que eu peço a quebra do sigilo telefônico para mostrar as ligações que ele fez pedindo a conta. Inclusive me lembro duma delas quando ele disse: Olha, aquele dinheiro da mídia está saindo daqui, tá bom? Eu não temo acareação com ninguém não! Eu até faço questão dela. Eu não rompi nada. Ele rompeu! Ele me chamou de mentiroso, ele me chamou de irresponsável. Durante todas as campanhas que eu fiz, pedindo voto pra ele, eu também era irresponsável, eu era mentiroso?

Eu não tenho nada a ver com essa historia de origem de dinheiro. Eu recebi por um trabalho prestado. E não foram os R$ 33 mil alegados não. Os R$ 33 mil são da nota fiscal de uma parcela. Somente de uma parcela. E o restante? Como é que eles explicam então os outros dois depósitos feitos na conta da minha filha: um pela Pantoja e outro por um cidadão que é pessoa física?"

As perguntas de Bordoni sobre os outros depósitos não estão esclarecidas.

À TV Anhanguera o governador Marconi Perillo anunciou que deve entrar na Justiça contra o jornalista, Luís Carlos Bordoni.

O jornalista Luís Carlos Bordoni, que fez a campanha de Marconi Perillo em 2010, afirmou que quer falar à CPI, conforme informou o jornal O Estado de São Paulo.

Na sexta-feira a Assessoria de Perillo divulgou uma nota dizendo que o jornalista é mentiroso e irresponsável e que Luís Carlos Bordoni recebeu R$ 33 mil, não restando nenhuma dívida A nota afirmava que Lúcio Fiúza não participou da contratação ou pagamento de valores na campanha de 2010 e finaliza dizendo que o governador vai entrar na Justiça contra Bordoni, nesta segunda-feira.

Nesse domingo, o Governo do Estado divulgou uma nova nota, divulgada pela TV Anhanguera. A Assessoria de Marconi Perillo diz que o governador nunca tratou de nenhum pagamento com nenhum prestador de serviço durante a campanha.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247