Caiado usa até religião para atacar o governo

Senador Ronaldo Caiado usou até uma tradicional festa religiosa de Goiás para fazer política e dar ressonância ao seu discurso catastrófico e radical; Caiado, que esteve na missa de encerramento da Romaria de Muquém, misturou a festa religiosa com política em sua página pessoal no Facebbok; "Não pude deixar de pedir proteção à Nossa Senhora para minimizar as tantas dificuldades que estão sendo impostas aos brasileiros e aos goianos. Este ano tivemos uma presença maior de romeiros justamente por causa do sentimento de desesperança que abate as pessoas, em que o quadro de crise afeta até mesmo os seus empregos. O quadro econômico é cada vez mais inquietante", postou

Senador Ronaldo Caiado usou até uma tradicional festa religiosa de Goiás para fazer política e dar ressonância ao seu discurso catastrófico e radical; Caiado, que esteve na missa de encerramento da Romaria de Muquém, misturou a festa religiosa com política em sua página pessoal no Facebbok; "Não pude deixar de pedir proteção à Nossa Senhora para minimizar as tantas dificuldades que estão sendo impostas aos brasileiros e aos goianos. Este ano tivemos uma presença maior de romeiros justamente por causa do sentimento de desesperança que abate as pessoas, em que o quadro de crise afeta até mesmo os seus empregos. O quadro econômico é cada vez mais inquietante", postou
Senador Ronaldo Caiado usou até uma tradicional festa religiosa de Goiás para fazer política e dar ressonância ao seu discurso catastrófico e radical; Caiado, que esteve na missa de encerramento da Romaria de Muquém, misturou a festa religiosa com política em sua página pessoal no Facebbok; "Não pude deixar de pedir proteção à Nossa Senhora para minimizar as tantas dificuldades que estão sendo impostas aos brasileiros e aos goianos. Este ano tivemos uma presença maior de romeiros justamente por causa do sentimento de desesperança que abate as pessoas, em que o quadro de crise afeta até mesmo os seus empregos. O quadro econômico é cada vez mais inquietante", postou (Foto: José Barbacena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Goiás 247 - Às vésperas de ir para as ruas da capital paulista para mais um protesto contra a presidente Dilma Rousseff (PT), o senador Ronaldo Caiado (DEM) usou até uma tradicional festa religiosa de Goiás para fazer política e dar ressonância ao seu discurso catastrófico e radical.

Na manhã deste sábado, Caiado esteve na missa de encerramento da Romaria de Muquém, no município de Niquelândia, e ao comentar a solenidade em seu Facebook misturou a festa religiosa com política. 

"Não pude deixar de pedir proteção à Nossa Senhora para minimizar as tantas dificuldades que estão sendo impostas aos brasileiros e aos goianos. Este ano tivemos uma presença maior de romeiros justamente por causa do sentimento de desesperança que abate as pessoas, em que o quadro de crise afeta até mesmo os seus empregos. O quadro econômico é cada vez mais inquietante. E pior: a população assiste estarrecida à escalada da corrupção", escreveu o parlamentar.

Caiado ainda afirmou que é preciso ser firme na fé para enfrentar dificuldades resultantes das administrações dos governo federal e estadual.

"É triste ver que todos pagam muitas taxas e ainda por cima são espoliados por não ter segurança, saúde e educação. Infelizmente a verdade é que o brasileiro tem assistido aos governos federal e estadual se utilizarem de órgãos públicos como base de sustentação de projetos políticos e enriquecimento ilícito de gestores. Por isso temos de ser firmes em nossa fé e lutarmos pelas mudanças que julgamos necessárias".

Abaixo, o post de Caiado:

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email