Camilo Santana culpa governo federal por crise da água no Ceará

O governador Camilo Santana responsabilizou nesta segunda-feira (7) o governo de Michel Temer, caso aconteça um colapso de água no Estado no próximo ano; "A responsabilidade será do Governo Federal, que não tem ouvido o governador e a sociedade. Eu vou responsabilizar o governo federal. Já oficializei isso. É inadmissível", disse ele, que criticou a paralisação das obras de transposição do Rio São Francisco, no trecho entre Pernambuco e Ceará (Jati)

Camilo Santana, governador eleito pelo estado do Ceará. ( Marcelo Camargo/Agência Brasil) - Assuntos: Ceará, Camilo Santana, Eleições 2014
Camilo Santana, governador eleito pelo estado do Ceará. ( Marcelo Camargo/Agência Brasil) - Assuntos: Ceará, Camilo Santana, Eleições 2014 (Foto: Valter Lima)

247 - O governador Camilo Santana responsabilizou nesta segunda-feira (7) o governo de Michel Temer, caso aconteça um colapso de água no Estado no próximo ano. "A responsabilidade será do Governo Federal, que não tem ouvido o governador e a sociedade. Eu vou responsabilizar o governo federal. Já oficializei isso. É inadmissível", disse ele, que criticou a paralisação das obras de transposição do Rio São Francisco, no trecho entre Pernambuco e Ceará (Jati).

“Essa obra não era para ter sido paralisada, era para ter sido contratada emergencialmente. É claro que não estamos em situação de calamidade, no momento, mas poderemos estar caso essa obra não seja concluída até maio do ano que vem. Se não chover nós vamos ter um problema seríssimo porque não temos onde buscar água para atender um sexto ano seguido de seca”, afirmou.

Camilo alertou que, caso o governo federal não tome uma posição, haverá um colapso no abastecimento de água na região da Grande Fortaleza, prejudicando 4 milhões de pessoas. "É uma situação de calamidade. Estamos sem receber R$ 1 centavo do governo federal", reforçou.

Camilo afirmou ainda que pediu uma nova audiência com o presidente da República Michel Temer e lembrou reuniões que teve, em Brasília, no dia 26 de outubro, com representantes da Associação Brasileira de Emissoras de Rádio e Televisão (Abert), com o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), Aroldo Cedraz, e com o ministro da Integração Nacional, Hélder Barbalho, para tratar do tema da crise hídrica no Ceará e no Nordeste, como um todo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247