Campos critica travas para novos partidos

Pré-candidato à Presidência, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), voltou a atacar o Governo Federal por conta do projeto de lei, já aprovado na Câmara dos Deputados, que cria barreiras para a criação de novos partidos; “Democracia pressupõe que as pessoas possam se organizar em partidos. No ano passado, o PSD, que se criou com a ajuda de muitos outros partidos, teve direitos. Eu sou favorável que se garanta, por exemplo, à Rede os mesmos direitos que foram dados ao PSD"

Campos critica travas para novos partidos
Campos critica travas para novos partidos (Foto: (181) Luiz Fernando Menezes / Fo)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Leonardo Lucena_PE247 – Pré-candidato à Presidência, o governador de Pernambuco, Eduardo Campos (PSB), voltou a atacar o Governo Federal por conta do projeto de lei, já aprovado na Câmara dos Deputados, que cria barreiras para a criação de partidos. De acordo com a matéria, defendida por PT e PMDB, as duas principais sigla da base aliado da presidente Dilma Rousseff (PT), os parlamentares que migrarem para novas legendas não poderão levar a fatia do Fundo Partidário nem o tempo de Rádio e TV que tem direito.

“Democracia pressupõe que as pessoas possam se organizar em partidos. No ano passado, o PSD, que se criou com a ajuda de muitos outros partidos, teve direitos. Eu sou favorável que se garanta, por exemplo, à Rede os mesmos direitos que foram dados ao PSD”, declarou Campos, durante visita ao município de Surubim, Agreste do Estado, para anunciar medidas contra a seca, conforme o Jornal do Commercio.

Aprovado na Câmara, agora o projeto será analisado pelo Senado. Caso a medida seja sancionada pela Casa e, depois, pela presidente Dilma, serão prejudicados o Rede Sustentabilidade, da ex-ministra do Meio Ambiente, Marina Silva, e a Mobilização Democrática (MD), fruto de uma fusão do PPS com o PMN. Com a não transferência de recursos do Fundo Partidário e do tempo de Rádio e TV dos parlamentares às novas legendas, Campos também sairá no prejuízo, já que o gestor vem se articulando com diversas lideranças políticas visando o seu projeto presidencial para 2014.

O presidente da MD, deputado federal Roberto Freire (SP), por exemplo, já manifestou interesse pela candidatura do governador pernambucano. Por sua vez, o deputado federal Raul Henry (PMDB-PE), aliado de Campos, disparou críticas ao Governo Federal. “Eu estou aqui há seis anos nessa Casa e já vi de quase tudo nesse plenário. Mas não tinha visto até hoje uma violência tão grande contra os valores democráticos. Uma violência que procura exterminar o adversário, que não dá a ele a possibilidade de disputar (uma eleição)”, disparou o parlamentar na tribuna da Câmara.

Segundo o parlamentar, democracia não é somente fazer com que prevaleçam as opiniões da maioria e não da minoria. “O conceito de democracia é muito mais do que isso: é respeito a uma cultura de tolerância, é respeito às minorias, respeito à liberdade de expressão, é respeito ao debate, é dar ao outro o direito de dialogar com a sociedade”, acrescentou. Para o peemedebista, o PT defende o projeto com o objetivo se manter no poder. “Numa democracia de verdade, existe a possibilidade de alternância de poder, que é o que o PT está querendo barrar aqui”, acrescentou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247