Campos sobre ataque do PT: "Nem merece resposta"

Após o vice-presidente nacional do PT, deputado federal José Guimarães, ter dito que o governador de Pernambuco era ingrato e que estava machucando a presidente Dilma Rousseff, o presidenciável foi taxativo: “Isso não merece nem resposta”; presidente do PSB também reforçou a sua posição favorável ao projeto do senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência, que põe fim à reeleição e estabelece um mandato de cinco anos para o governante

Campos sobre ataque do PT: "Nem merece resposta"
Campos sobre ataque do PT: "Nem merece resposta"

PE247 – Após o vice-presidente nacional do PT, deputado federal José Guimarães, ter dito que o governador de Pernambuco e presidenciável, Eduardo Campos (PSB), era ingrato e que estava machucando a presidente Dilma Rousseff (PT),o  pessebista foi taxativo: “Isso não merece nem resposta”, disse, nesta terça-feira (30), depois de apresentar o balanço do Pacto Pela Vida, projeto que visa reduzir os índices de criminalidade no Estado. Na ocasião, o gestor também reforçou a sua posição favorável ao projeto do senador Aécio Neves (PSDB-MG), pré-candidato à Presidência, que põe fim à reeleição e estabelece um mandato de cinco anos para o governante.

Apesar de ter reiterado que o PSB não tem uma posição fechada sobre o projeto do parlamentar tucano, Campos disse que este posicionamento não é novidade dentro da legenda socialista. “Não temos posição partidária tomada sobre essa matéria. Nós, lá atrás, votamos contra o processo da reeleição. Tem muitas pessoas que simpatizam, que entendem que o mandato de cinco anos sem eleição no meio pode ser até um período muito mais produtivo”, declarou.

Curiosamente, surgiram rumores de que o governador pernambucano teria ligado para o senador Aécio Neves a fim de manifestar apoio ao tucano nessa proposta. De acordo com a colunista do jornal Folha de S. Paulo, Vera Magalhães, Campos e Aécio entendem que o projeto, se aprovado, seria o início de uma “boa reforma política”.

Campos aproveitou para defender a unificação das eleições, em vez de ocorrer disputas eleitorais a cada dois anos. “O partido tem uma grande simpatia pela coincidência das eleições. Eu acho que a gente precisa, até para o funcionamento da vida administrativa do País, para simplificar pactuações federais, que são impactadas, muitas vezes quando tem eleição nos municípios, tem eleição no Estado, tem eleição nacional”, acrescentou.

Sobre as especulações de que o ex-presidente Lula (PT) teria dito que a candidatura de Campos é irreversível, o pessebista não quis falar a respeito. “Não estou aqui para comentar o que ele teria dito. Não tem aspas, nem declaração dele falando desse assunto”, declarou. O presidenciável também negou que tenha um encontro marcado com o cacique-mor do PT.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247