Candidato diz que coordenador encontrado morto ‘nunca será esquecido’

O candidato à Prefeitura de Porto Alegre Sebastião Melo (PMDB) fez um pronunciamento emocionado sobre a morte de Plínio Zalewski, um dos coordenadores do plano de governo do peemedebista. Melo se dirigiu à família e aos amigos de Plínio e afirmou que “a memória dele nunca será esquecida”; chorando muito, o candidato disse ainda que “nunca houve uma pessoa que quis tanto que ele fosse candidato a prefeito”; Plínio Zalewski foi encontrado morto em um banheiro do diretório do partido; ao lado de Ibsen Pinheiro, Pedro Simon e outras personalidades, Melo pediu desculpas aos jornalistas por estar muito emocionado e encerrou a declaração afirmando: “política pra mim sempre foi paz, e eu vou continuar nesse caminho”

O candidato à Prefeitura de Porto Alegre Sebastião Melo (PMDB) fez um pronunciamento emocionado sobre a morte de Plínio Zalewski, um dos coordenadores do plano de governo do peemedebista. Melo se dirigiu à família e aos amigos de Plínio e afirmou que “a memória dele nunca será esquecida”; chorando muito, o candidato disse ainda que “nunca houve uma pessoa que quis tanto que ele fosse candidato a prefeito”; Plínio Zalewski foi encontrado morto em um banheiro do diretório do partido; ao lado de Ibsen Pinheiro, Pedro Simon e outras personalidades, Melo pediu desculpas aos jornalistas por estar muito emocionado e encerrou a declaração afirmando: “política pra mim sempre foi paz, e eu vou continuar nesse caminho”
O candidato à Prefeitura de Porto Alegre Sebastião Melo (PMDB) fez um pronunciamento emocionado sobre a morte de Plínio Zalewski, um dos coordenadores do plano de governo do peemedebista. Melo se dirigiu à família e aos amigos de Plínio e afirmou que “a memória dele nunca será esquecida”; chorando muito, o candidato disse ainda que “nunca houve uma pessoa que quis tanto que ele fosse candidato a prefeito”; Plínio Zalewski foi encontrado morto em um banheiro do diretório do partido; ao lado de Ibsen Pinheiro, Pedro Simon e outras personalidades, Melo pediu desculpas aos jornalistas por estar muito emocionado e encerrou a declaração afirmando: “política pra mim sempre foi paz, e eu vou continuar nesse caminho” (Foto: Leonardo Lucena)

Sul 21 - O candidato à Prefeitura de Porto Alegre Sebastião Melo (PMDB) fez um pronunciamento emocionado no fim da tarde desta segunda-feira (17) sobre a morte de Plínio Zalewski, um dos coordenadores do plano de governo do peemedebista. Melo se dirigiu à família e aos amigos de Plínio e afirmou que “a memória dele nunca será esquecida”. Chorando muito, o candidato disse ainda que “nunca houve uma pessoa que quis tanto que ele fosse candidato a prefeito”. Plínio Zalewski foi encontrado morto em um banheiro do diretório do partido no início da tarde.

Ao lado de Ibsen Pinheiro, Pedro Simon e outras personalidades, Melo pediu desculpas aos jornalistas por estar muito emocionado e encerrou a declaração afirmando: “política pra mim sempre foi paz, e eu vou continuar nesse caminho”.

Antes da fala de Melo, a polícia e o Instituto Geral de Perícias (IGP) prestaram esclarecimentos iniciais sobre amorte do integrante do PMDB. Segundo o delegado Paulo Grillo, que atendeu a imprensa no próprio diretório, a situação, a princípio, é “compatível com suicídio”, que teria ocorrido ainda na noite de domingo (16). Um bilhete foi encontrado ao lado do corpo, porém, por estar sujo de sangue, estava pouco legível.

De acordo com o delegado, a polícia recebeu relatos de familiares e companheiros de campanha de que Zalewski estaria transtornado e estressado nos últimos dias. O chefe do IGP também apontou que o quadro era compatível com suicídio e que há sinais de múltiplos ferimentos no pescoço de Plínio Zalewski, encontrado com uma faca ao lado, em um banheiro chaveado por dentro, no diretório do partido. O banheiro seria pouco utilizado e apenas hoje, no início da tarde, uma faxineira percebeu que ele estava trancado.

Outros políticos se manifestaram, pelas redes sociais, sobre o ocorrido. O prefeito José Fortunati (PDT) classificou Plínio como um “grande amigo”, com quem militou na política desde a década de 1980 e de quem foi colega na Prefeitura, desde a administração de José Fogaça. “Nesse momento de luto para todos, muito mais para os seus familiares, me uno à dor dos amigos e companheiros, não apenas do PMDB, mas de todos os partidos que com ele conviveram. E especialmente dirijo à família do Plínio minha palavra de solidariedade. Que Deus esteja com eles e lhes dê conforto, nessa hora tão difícil”, afirmou.

O vereador Adeli Sell, do PT, partido no qual Plínio já foi filiado, também emitiu nota, dizendo que os dois nunca deixaram de se falar e de debater. “Nem a saída dele do PT, sua estada agora com o PMDB, nada nos separava de bons papos, altos debates”, colocou. O vereador eleito pelo PROS, Wambert Di Lorenzo, declarou no Twitter que Plínio, “além de um bom amigo, era uma pessoa do bem envolvida em grandes causas”.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247