Capital tem 575 áreas de risco

A Defesa Civil de Maceió aponta 575 áreas de risco, sendo que 300 são considerados de alto risco. Possibilidade de deslizamentos é maior de abril a julho, período em que os índices pluviométricos costumam ser elevados

A Defesa Civil de Maceió aponta 575 áreas de risco, sendo que 300 são considerados de alto risco. Possibilidade de deslizamentos é maior de abril a julho, período em que os índices pluviométricos costumam ser elevados
A Defesa Civil de Maceió aponta 575 áreas de risco, sendo que 300 são considerados de alto risco. Possibilidade de deslizamentos é maior de abril a julho, período em que os índices pluviométricos costumam ser elevados (Foto: Voney Malta)

Alagoas247 - A Coordenação de Defesa Civil (Comdec) da Prefeitura de Maceió tem intensificado, com apoio de servidores lotados em outras três secretarias, ações preventivas com a finalidade de evitar acidentes em um dos 575 pontos de risco, em grotas de pelo menos seis complexos habitacionais da capital alagoana.

"Dos 575 locais onde pode haver algum acidente, 300 são considerados de alto risco", confirma Dinário Júnior, coordenador municipal de Defesa Civil. "Nosso maior desafio é orientar a população sobre como agir neste período de muitas chuvas", completou.

Certos de que os índices pluviométricos costumam ser elevados entre abril e julho, período classificado como "quadra chuvosa", os técnicos da Defesa Civil têm identificado, desde janeiro, pontos críticos, cujo possível alagamento, em dias chuvosos, pode provocar acidentes diversos.

"Limpamos pontos de alagamentos em oito grotas", explicou Dinário, referindo-se às comunidades de Pau d'Arco, Santa Rosa, Cigano, Moreira,

Estrondo, Aterro, Ouro Preto e Santa Helena. "Os riachos foram desassoreados para facilitar o escoamento das águas das chuvas".

Além da limpeza de córregos e riachos, a municipalidade diz ter investido também na recuperação de escadarias, equipamentos por meio dos quais é possível acessar ou então sair dos casebres com maior agilidade, se houver risco iminente de acidente.

A revisitação às áreas consideradas críticas, todas de conhecimento dos gestores públicos há muitos anos, tem sido feita em parceria com as secretarias municipais de Limpeza (Slum), de Infraestrutura (Seminfra) e de Iluminação (Sima).

Reidentificados os diversos pontos de inadequação estrutural, principalmente em áreas de encosta, cabe à Infraestrutura proceder ações no sentido de evitar novos deslisamentos de terra. Um exemplo é a colocação de sacos com areia e cimento à beira das encostas.

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247