Capitão Wagner afirma que vai tentar vaga na Câmara Federal

O deputado estadual Capitão Wagner (PR) afirmou, nesta terça-feira (16), que é pré-candidato a deputado federal. Cotado para a disputa pelo Governo do Estado, Wagner alegou que o partido ainda não conseguiu sanar as dívidas de sua campanha para a Prefeitura e que uma candidatura ao Governo ou Senado demandaria uma grande estrutura. Wagner chegou a ser celebrado como adversário de Camilo Santana (PT) por líderes da oposição, mas um veto de apoio a Jair Bolsonaro por parte do senador Tasso Jereissati teria esfriado os ânimos do parlamentar

O deputado estadual Capitão Wagner (PR) afirmou, nesta terça-feira (16), que é pré-candidato a deputado federal. Cotado para a disputa pelo Governo do Estado, Wagner alegou que o partido ainda não conseguiu sanar as dívidas de sua campanha para a Prefeitura e que uma candidatura ao Governo ou Senado demandaria uma grande estrutura. Wagner chegou a ser celebrado como adversário de Camilo Santana (PT) por líderes da oposição, mas um veto de apoio a Jair Bolsonaro por parte do senador Tasso Jereissati teria esfriado os ânimos do parlamentar
O deputado estadual Capitão Wagner (PR) afirmou, nesta terça-feira (16), que é pré-candidato a deputado federal. Cotado para a disputa pelo Governo do Estado, Wagner alegou que o partido ainda não conseguiu sanar as dívidas de sua campanha para a Prefeitura e que uma candidatura ao Governo ou Senado demandaria uma grande estrutura. Wagner chegou a ser celebrado como adversário de Camilo Santana (PT) por líderes da oposição, mas um veto de apoio a Jair Bolsonaro por parte do senador Tasso Jereissati teria esfriado os ânimos do parlamentar (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - Após sua possível candidatura ao Governo do Estado perder força com o veto de apoio a Jair Bolsonaro por parte do senador Tasso Jereissati (PSDB), o deputado estadual Capitão Wagner (PR) afirmou, nesta terça-feira (16), que é pré-candidato a deputado federal.

Em áudio enviado por sua assessoria de imprensa, em que responde a uma entrevista, Wagner alega que um dos motivos para a mudança de planos é que “o partido ainda deve quase R$ 500 mil de sua campanha a prefeito”. 

“Nós não precisamos de dinheiro para comprar voto não, mas a gente precisa de uma estrutura que nos permita imprimir a quantidade de adesivos que o eleitor busca, a quantidade de bandeiras, imprimir santinhos, além da equipe de marketing, produção da TV e rádio. Tudo isso é muito caro”.

Wagner disse ainda que “vai tentar com esse novo passo subir mais um degrau político” e que vai “trabalhar para obter essa vitória”.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247