Capitão Wagner protocola pedido de impeachment do governador Camilo Santana

Conforme já havia anunciado, o deputado estadual Capitão Wagner (PR), protocolou hoje (23), na Assembleia Legislativa, pedido de impeachment do governador Camilo Santana, alegando "cometimento de crime de responsabilidade do governador". O pedido foi motivado pelas denúncias feitas pelo empresário Wesley Batista contra o ex-governador Cid Gomes, de que teria pedido doações para a campanha eleitoral de 2014, entre elas, a campanha de Camilo Santana  

Conforme já havia anunciado, o deputado estadual Capitão Wagner (PR), protocolou hoje (23), na Assembleia Legislativa, pedido de impeachment do governador Camilo Santana, alegando "cometimento de crime de responsabilidade do governador". O pedido foi motivado pelas denúncias feitas pelo empresário Wesley Batista contra o ex-governador Cid Gomes, de que teria pedido doações para a campanha eleitoral de 2014, entre elas, a campanha de Camilo Santana
 
Conforme já havia anunciado, o deputado estadual Capitão Wagner (PR), protocolou hoje (23), na Assembleia Legislativa, pedido de impeachment do governador Camilo Santana, alegando "cometimento de crime de responsabilidade do governador". O pedido foi motivado pelas denúncias feitas pelo empresário Wesley Batista contra o ex-governador Cid Gomes, de que teria pedido doações para a campanha eleitoral de 2014, entre elas, a campanha de Camilo Santana   (Foto: Fatima 247)

Conforme já havia anunciado, o deputado estadual Capitão Wagner (PR), protocolou hoje (23), na Assembleia Legislativa, pedido de impeachment do governador Camilo Santana, alegando "cometimento de crime de responsabilidade do governador".

O pedido foi motivado pelas denúncias feitas pelo empresário Wesley Batista contra o ex-governador Cid Gomes (PDT), de que teria pedido doações para a campanha eleitoral de 2014, entre elas, a campanha de Camilo Santana. 

Ontem (22), o ex-governador Cid Gomes negou as acusações contidas na delação premiada de Wesley Batista, da JBS e disse que vai processar o empresário. Sobre a acusação de ter feito um repasse no valor de R$ 110 milhões à JB em créditos do ICMS em troca de R$ 20 milhões para a campanha de Camilo Santana (PT), o ex-governador disse que cumpriu com uma obrigação do Estado. “Se o Estado não pagasse, eu é que seria responsabilizado.

Para ter andamento, o pedido precisaria ser acatado pelo presidente da Assembleia, deputado Zezinho Albuquerque.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247