Carlos Gaguim defende remanejamento de verba do BRT para casas populares

O deputado federal Carlos Gaguim (PTN) defendeu o remanejamento de dinheiro previsto no Ministério das Cidades para o BRT de Palmas. Segundo o parlamentar a verba deve ser destinada à construção de casas populares; “Vi uma matéria jornalística em que a prefeitura convocava via portaria cerca de 30 mil famílias inscritas no Minha Casa Minha Vida para a atualização de dados cadastrais, dando a entender que em breve estas famílias seriam contempladas. O que não entendo é da onde que vão sair estas casas, já que este programa está quase parado para este ano? A região Norte terá ao todo a disponibilidade de apenas 7.125 mil casas”, disse ele na tribuna da Câmara

O deputado federal Carlos Gaguim (PTN) defendeu o remanejamento de dinheiro previsto no Ministério das Cidades para o BRT de Palmas. Segundo o parlamentar a verba deve ser destinada à construção de casas populares; “Vi uma matéria jornalística em que a prefeitura convocava via portaria cerca de 30 mil famílias inscritas no Minha Casa Minha Vida para a atualização de dados cadastrais, dando a entender que em breve estas famílias seriam contempladas. O que não entendo é da onde que vão sair estas casas, já que este programa está quase parado para este ano? A região Norte terá ao todo a disponibilidade de apenas 7.125 mil casas”, disse ele na tribuna da Câmara
O deputado federal Carlos Gaguim (PTN) defendeu o remanejamento de dinheiro previsto no Ministério das Cidades para o BRT de Palmas. Segundo o parlamentar a verba deve ser destinada à construção de casas populares; “Vi uma matéria jornalística em que a prefeitura convocava via portaria cerca de 30 mil famílias inscritas no Minha Casa Minha Vida para a atualização de dados cadastrais, dando a entender que em breve estas famílias seriam contempladas. O que não entendo é da onde que vão sair estas casas, já que este programa está quase parado para este ano? A região Norte terá ao todo a disponibilidade de apenas 7.125 mil casas”, disse ele na tribuna da Câmara (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - O deputado federal Carlos Gaguim (PTN) defendeu o remanejamento de dinheiro previsto no Ministério das Cidades para o BRT de Palmas. Segundo o parlamentar a verba deve ser destinada à construção de casas populares.

“Ontem [quarta-feira, 3] vi uma matéria jornalística em que a prefeitura convocava via portaria cerca de 30 mil famílias inscritas no Minha Casa Minha Vida para a atualização de dados cadastrais, dando a entender que em breve estas famílias seriam contempladas. O que não entendo é da onde que vão sair estas casas, já que este programa está quase parado para este ano? A região Norte terá ao todo a disponibilidade de apenas 7.125 mil casas”, disse ele na tribuna da Câmara.

O congressista afirmou que vem conversando com autoridades do governo federal para que o projeto BRT seja redimensionado para atender a necessidade da Capital sem que gere endividamento para a prefeitura.

“Prefeito, o senhor não precisa inventar, é só o senhor pegar o cadastro de 3 mil famílias que já está pronto e use o dinheiro do BRT para cumprir as promessas que foram feitas. As casas feitas até agora foram as conseguidas por meio de emendas parlamentares, aqui, de Brasília. É sua obrigação. Casas populares ao invés desse BRT”, pediu Gaguim.

Segundo deputado, as metas de contratações para este ano são de 100 mil unidades habitacionais, sendo 80 mil distribuídas de acordo com o déficit habitacional urbano, apurado pela Fundação João Pinheiro, do Governo de Minas Gerais, considerando os dados do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), e outras 20 mil destinadas ao atendimento de situação de calamidades e emergências e aos reassentamentos decorrentes das obras do PAC.

Em nota enviada ao site do Cleber Toledo, a "Prefeitura de Palmas informa que o recadastramento é a atualização dos cadastros para o sorteio que acontecerá em junho deste ano e para os futuros empreendimentos que serão entregues". "Dessa forma, para que seja um sorteio justo e transparente, e não apenas com as famílias que estão aptas no sistema, a Prefeitura está solicitando a atualização. Atualmente, há em torno de 20 mil famílias com algum tipo de pendência no cadastro, o que será resolvido com a atualização. Ressaltamos ainda que o processo de atualização não tem nada a ver com o número de moradias que serão entregues", disse.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247