Caso Lula não seja candidato, o PT continua competitivo, diz Coimbra

O cientista político Marcos Coimbra, durante entrevista ao programa Mundo Político, na TV da Assembleia Legislativa de Minas, avalia que com Lula candidato não é descartada a possibilidade de vitória no primeiro turno, uma vez que ele tem quase o dobro de intenções de votos do segundo colocado; para ele, preso ou solto, candidato ou não, o ex-presidente é decisivo nesta a eleição por conta do crescimento do petismo e também do lulopetismo; Coimbra ainda avalia o desempenho de Marina, Alckmin, Ciro e Bolsonaro, além da influência de Fernando Henrique Cardoso e a perspectiva de Michel Temer na eleição; veja o vídeo

O cientista político Marcos Coimbra, durante entrevista ao programa Mundo Político, na TV da Assembleia Legislativa de Minas, avalia que com Lula candidato não é descartada a possibilidade de vitória no primeiro turno, uma vez que ele tem quase o dobro de intenções de votos do segundo colocado; para ele, preso ou solto, candidato ou não, o ex-presidente é decisivo nesta a eleição por conta do crescimento do petismo e também do lulopetismo; Coimbra ainda avalia o desempenho de Marina, Alckmin, Ciro e Bolsonaro, além da influência de Fernando Henrique Cardoso e a perspectiva de Michel Temer na eleição; veja o vídeo
O cientista político Marcos Coimbra, durante entrevista ao programa Mundo Político, na TV da Assembleia Legislativa de Minas, avalia que com Lula candidato não é descartada a possibilidade de vitória no primeiro turno, uma vez que ele tem quase o dobro de intenções de votos do segundo colocado; para ele, preso ou solto, candidato ou não, o ex-presidente é decisivo nesta a eleição por conta do crescimento do petismo e também do lulopetismo; Coimbra ainda avalia o desempenho de Marina, Alckmin, Ciro e Bolsonaro, além da influência de Fernando Henrique Cardoso e a perspectiva de Michel Temer na eleição; veja o vídeo (Foto: Voney Malta)

Minas 247 - Durante entrevista ao programa Mundo Político, da TV da Assembleia Legislativa de Minas Gerais, o cientista político Marcos Coimbra fez uma análise do cenário eleitoral para 2018 com e sem a presença do ex-presidente Lula.

No cenário com Lula candidato não é descartada a possibilidade de o ex-presidente vencer no primeiro turno, uma vez que ele tem quase o dobro do segundo colocado, segundo várias pesquisas. Além disso, os processos contra ele são entendidos como perseguição, assim como a forma como a ex-presidente Dilma Rousseff foi afastada pelo Congresso é vista como algo que ocorreu de maneira ilegal.

Coimbra também afirma que, de acordo com a última pesquisa Data Folha, 27% dos entrevistados votariam em quem Lula indicasse, uma espécie de voto cativo. Ou seja, preso ou solto, candidato ou não, o ex-presidente é decisivo nesta a eleição também por conta do crescimento do petismo e ainda do lulopetismo.

Portanto, para Marcos Coimbra, a ausência de Lula não significa que o PT deixará de ter candidato. Ele diz que Lula tem uma taxa de intenção de voto maior do que o PT, mas afirma que um outro candidato petista é competitivo na disputa eleitoral.

Ele também avalia o desempenho dos outros principais candidatos, comenta a influência do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso nas eleições. Analisa ainda a possibilidade do presidente Michel Temer tentar a reeleição, considerado um presidente frágil dentro da instabilidade política criada pelo golpe que derrubou Dilma e tirou o PT do governo.

Veja aqui a entrevista na íntegra.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247