Casos suspeitos de dengue passam de mil

Somente este ano, segundo a Coordenação de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS), 1.044 casos suspeitos de dengue foram notificados em Maceió; os bairros de Jaraguá, Pontal e Ponta da Terra são os que apresentam maior incidência da doença; também houve divulgação de casos de Zika Vírus, Chikungunya e Microcefalia

reg. 004-15 ICB IV Cientistas do Instituto Pasteur de Dakar, Senegal estão no Brasil para ajudar pesquisadores brasileiros a combater Zika Vírus. Mosquitos Aedes aegypti no laboratório de Espectrometria de Massa. 08/01/2016 Foto Marcos Santos
reg. 004-15 ICB IV Cientistas do Instituto Pasteur de Dakar, Senegal estão no Brasil para ajudar pesquisadores brasileiros a combater Zika Vírus. Mosquitos Aedes aegypti no laboratório de Espectrometria de Massa. 08/01/2016 Foto Marcos Santos (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas 247 - Mais de mil casos suspeitos de dengue foram notificados em Maceió, este ano, pela Coordenação de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde (SMS). O Boletim Epidemiológico foi divulgado na manhã desta segunda-feira (18). Ainda segundo o relatório, os bairros de Jaraguá (258,10/100mil habitantes), Pontal (548,66/ 100mil habitantes) e Ponta da Terra (174,14/100mil hab.) são os que apresentam maior incidência da doença. 

Ao todo, foram registrados 1.044 casos de dengue notificados em 2016, desses foram registrados 16 graves, sendo um confirmado como dengue grave, dois como dengue, um descartado e 12 estão sob investigação. Foram confirmados, ainda, cinco casos de dengue com sinais de alarme, que ocorreram nos bairros da Gruta de Lourdes, Serraria, Benedito Bentes, Cidade Universitária e Santa Lúcia.

Até o momento, cinco óbitos foram notificados suspeitos de dengue, um foi descartado e os outros estão sob investigação. As amostras são analisadas pelo Laboratório de Pesquisas em Virologia e Imunologia (Lapevi) da Universidade Federal de Alagoas (Ufal) e pelo Laboratório Central de Saúde Pública de Alagoas (Lacen).

Zika Vírus

Em 2016, foram notificados 1.468 casos suspeitos de zika, destes, 11 são de gestantes,  sendo relevantes os 1º, 2º, e 7º Distritos. As unidades notificadoras foram Pediatria 24hrs, Ambulatório Noélia Lessa, Santa Casa de Maceió, Hospital Unimed, Mini Pronto Socorro Assis Chateaubriand, Hospital Escola Helvio Auto, USF Pitanguinha, Hospital Geral do Estado e Hospital Universitário (HUPAA/UFAL).

Chikungunya

É considerado caso suspeito de febre chikungunya paciente com febre de início súbito maior que 38,5ºC e artralgia (dor em uma ou mais articulação do corpo) ou artrite intensa de início agudo, não explicado por outras condições. Nesses casos, o paciente deverá procurar atendimento em uma Unidade Básica de Saúde (UBS).

Em 2016, até o momento, foram notificados 303 casos de chikungunya, 45 confirmados por laboratório, 166 por critério clínico-epidemiológico e os demais estão sob investigação. No mesmo período do ano passado, foram notificados 61 casos, 11 confirmados e 50 descartados.

Microcefalia

Até o dia 15 de abril foram notificados 67 casos suspeitos de microcefalia por infecção pelo Zika vírus em Maceió. Destes, 35 foram descartados e cinco foram confirmados como microcefalia possivelmente relacionada ao Zika vírus e 27 estão sob investigação. Não houve registro de óbito.

Com gazetaweb.com e assessoria

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247