CE aprova repúdio ao massacre de professores

A Comissão Permanente da Educação da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 13, Moção de Repúdio à atuação do Governo de Beto Richa (PSDB) e da Assembleia Legislativa do Paraná pelo massacre contra professores estaduais em greve, que deixou 200 pessoas feridas; requerimento da deputada Professora Marcivania (PT-AP) afirma que ação do governo do Estado, que derrubou a cúpula da Segurança Pública, quebrou princípios da ordem democrática, com ofensas às liberdades individuais e coletivas contra professores; “O objetivo desta Moção de Repúdio é que não aconteça mais este tipo de ação em nenhum lugar”, afirmou a deputada Josi Nunes (PMDB-TO), que votou favorável ao repúdio

A Comissão Permanente da Educação da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 13, Moção de Repúdio à atuação do Governo de Beto Richa (PSDB) e da Assembleia Legislativa do Paraná pelo massacre contra professores estaduais em greve, que deixou 200 pessoas feridas; requerimento da deputada Professora Marcivania (PT-AP) afirma que ação do governo do Estado, que derrubou a cúpula da Segurança Pública, quebrou princípios da ordem democrática, com ofensas às liberdades individuais e coletivas contra professores; “O objetivo desta Moção de Repúdio é que não aconteça mais este tipo de ação em nenhum lugar”, afirmou a deputada Josi Nunes (PMDB-TO), que votou favorável ao repúdio
A Comissão Permanente da Educação da Câmara aprovou nesta quarta-feira, 13, Moção de Repúdio à atuação do Governo de Beto Richa (PSDB) e da Assembleia Legislativa do Paraná pelo massacre contra professores estaduais em greve, que deixou 200 pessoas feridas; requerimento da deputada Professora Marcivania (PT-AP) afirma que ação do governo do Estado, que derrubou a cúpula da Segurança Pública, quebrou princípios da ordem democrática, com ofensas às liberdades individuais e coletivas contra professores; “O objetivo desta Moção de Repúdio é que não aconteça mais este tipo de ação em nenhum lugar”, afirmou a deputada Josi Nunes (PMDB-TO), que votou favorável ao repúdio (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - A Comissão Permanente da Educação da Câmara Federal aprovou na manhã desta quarta-feira, 13, o requerimento de autoria da deputada Professora Marcivania (PT-AP), que solicitou uma Moção de Repúdio à atuação do Governo e da Assembleia Legislativa do Estado do Paraná por quebra de princípios da ordem democrática, com ofensas às liberdades individuais e coletivas contra professores.

A propositura se deu em virtude ao episódio de agressão protagonizado no ultimo dia 29, pela  polícia do estado do Paraná, contra os professores que se manifestavam contrários à mudança na previdência social.

Favorável ao requerimento, a deputada federal Josi Nunes(PMDB-TO) lamentou  a violência contra os professores reforçando a intenção do repúdio. “O objetivo desta Moção de Repúdio é que não aconteça mais este tipo de ação em nenhum lugar.  O ideal é que em todos os conflitos  se busquem soluções com respeito, com valorização para que se chegue a um consenso sem uso  de violência”, completou.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247