Cesta básica de Salvador é a 2ª mais barata do país

Alta de 2,62% em julho não mudou posição da capital baiana no ranking dos preços entre as 17 capitais pesquisadas pelo DIEESE

Cesta básica de Salvador é a 2ª mais barata do país
Cesta básica de Salvador é a 2ª mais barata do país (Foto: Divulgação)

Bahia 247

Mesmo com o aumento de 2,62% no mês de julho, passando a custar R$ 218,78, contra os R$ 213,20 registrados em junho, a cesta básica de Salvador continuou sendo a 2ª mais barata dentre as 17 pesquisadas pelo DIEESE - Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos (só a de Aracaju custa menos: R$ 208,14).

No acumulado dos sete meses de 2012, o custo dos alimentos básicos apresentou elevação de 4,77% na capital baiana. Nos últimos 12 meses (agosto de 2011 a julho de 2012), o custo registra alta acumulada de 5,91%.

A cesta básica calculada em Salvador pelo DIEESE é composta de 12 produtos:

-- carne
-- leite
-- feijão
-- arroz
-- farinha de mandioca
-- tomate
-- pão
-- café
-- banana
-- açúcar
-- óleo de soja
-- manteiga

O poder de compra do trabalhador soteropolitano que ganha um salário mínimo diminuiu em função da alta no custo da cesta básica em julho.
Com o custo maior dos alimentos, uma parcela também maior do rendimento líquido foi comprometida no mês: 38,23% em julho, contra 37,26% em junho.

O rendimento líquido do salário mínimo é de R$ 572,24, após desconto de 8% (referente a contribuição previdenciária) sobre o atual valor bruto (R$ 622).

Comprometimento da renda

Por ser uma das capitais com a cesta básica mais barata, em Salvador, o comprometimento da renda foi inferior à média das 17 capitais pesquisadas (45,85%).

Ainda em função da redução do poder de compra, este mesmo trabalhador soteropolitano precisou trabalhar quase 2 horas a mais em julho para adquirir uma cesta básica. O tempo de trabalho necessário foi de 77 horas e 23 minutos, contra 75 horas e 25 minutos em junho.

Em Salvador, o custo da cesta básica para o sustento de uma família foi de R$ 656,34 durante o mês de julho. Esse valor equivale a aproximadamente 1,055 salário mínimo bruto. No mês de junho, o custo da cesta básica para esta mesma família era de R$ 639,60 na capital baiana, que equivalia a 1,03 salário mínimo.

A estimativa de custo da alimentação básica familiar toma como referência uma família composta por quatro pessoas: dois adultos e duas crianças, sendo que estas consomem o equivalente a um adulto. Ou seja, equivale ao custo de 3 cestas básicas.

O DIEESE estima que o salário mínimo necessário deveria corresponder a R$ 2.519,97 em julho, valor que equivale a 4,05 vezes o salário mínimo vigente no mesmo mês (R$ 622).

Preços dos produtos

A cesta básica em Salvador ficou mais cara no mês de julho em decorrência da alta dos preços médios de 7 dos 12 produtos que a compõem.
Novamente, o tomate e a banana foram os produtos responsáveis pelo resultado mensal. Desta vez, no entanto, foi em função de terem subido bastante de preço: 18,59% a variação do tomate e 11,60% a da banana.

As demais altas registradas foram em percentuais baixos, a maioria abaixo de 1%.

O preço médio do óleo de soja não variou no mês e os demais quatro produtos da cesta registraram redução de preço em Salvador.

A baixa oferta, devido a fortes chuvas e a problemas na maturação dos frutos por conta de baixas temperaturas, tem elevado os preços do tomate nos últimos meses. A exceção fica para os meses de fevereiro e junho, quando o preço médio caiu 35,66% e 24,91%, respectivamente, na capital baiana.
Por causa dessas duas reduções, o preço médio acumula queda de 15,41% no período acumulado de janeiro a julho.

O preço médio da farinha de mandioca voltou a ficar mais alto em Salvador. Em julho, foi registrada a sétima alta consecutiva, com variação de 3,12% no mês. A quebra de safra da mandioca no Nordeste, em função da seca, comprometeu a oferta da raiz. No ano, a alta acumulada em Salvador já é de 15,50%.

Em Salvador, foi registrada estabilidade no preço médio do óleo do soja, apesar de ter predominado a alta nas demais capitais pesquisadas. A demanda externa ainda aquecida e os recentes aumentos dos preços da soja no mercado internacional têm elevado os preços do óleo de soja no atacado, o que pode influenciar seus preços para o consumidor final.

Também na contramão das localidades pesquisadas, o preço médio do arroz caiu 2,17% em Salvador no mês de julho. Em geral, os preços do grão ainda refletem as adversidades climáticas que ocasionaram reduções do cultivo e da oferta nas principais regiões produtoras.

A carne bovina, produto com maior peso na cesta básica, registrou queda em 15 cidades no mês de julho. Em Salvador, a variação do preço médio registrada foi de -1,83%. Apesar da redução na oferta de boi gordo e do aumento do preço nos principais estados produtores, o preço da carne caiu pelo segundo mês seguido em Salvador.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247