Chance de confronto 'está afastada' no dia do julgamento Lula, diz secretário

O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Augusto Schirmer, diz que o governo estadual tomou ações de modo a evitar confrontos entre manifestantes pró e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, presentes na cidade de Porto Alegre para acompanhar, nesta quarta-feira (24) o julgamento da ação no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4); Schirmer justificou o estado de sítio em torno do TRF-4, dizendo que o tribunal fica numa região dentro de um parque, às margens do Rio Guaiba, onde há outros prédios públicos

O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Augusto Schirmer, diz que o governo estadual tomou ações de modo a evitar confrontos entre manifestantes pró e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, presentes na cidade de Porto Alegre para acompanhar, nesta quarta-feira (24) o julgamento da ação no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4); Schirmer justificou o estado de sítio em torno do TRF-4, dizendo que o tribunal fica numa região dentro de um parque, às margens do Rio Guaiba, onde há outros prédios públicos
O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Augusto Schirmer, diz que o governo estadual tomou ações de modo a evitar confrontos entre manifestantes pró e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, presentes na cidade de Porto Alegre para acompanhar, nesta quarta-feira (24) o julgamento da ação no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4); Schirmer justificou o estado de sítio em torno do TRF-4, dizendo que o tribunal fica numa região dentro de um parque, às margens do Rio Guaiba, onde há outros prédios públicos (Foto: Charles Nisz)

Rio Grande do Sul 247 - O secretário de Segurança Pública do Rio Grande do Sul, Cezar Augusto Schirmer, diz que o governo estadual tomou ações de modo a evitar confrontos entre manifestantes pró e contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, presentes na cidade de Porto Alegre para acompanhar, nesta quarta-feira (24) o julgamento da ação no Tribunal Regional Federal da 4.ª Região (TRF-4) no qual o ex-presidente foi condenado a 9 anos e seis meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro no caso do triplex do Guarujá.

Schirmer justificou o estado de sítio em torno do TRF-4, dizendo que o tribunal fica numa região dentro de um parque, às margens do Rio Guaiba, onde há outros prédios públicos. "Entendemos que para evitar qualquer incidente, é necessário isolar a área a partir de hoje à tarde até amanhã, 24, à noite". Segundo ele, os funcionários dessas repartições não irão trabalhar na quarta e o TRF-4 só vai funcionar para o julgamento de Lula.

Lula chega nesta terça (23) a Porto Alegre para participar dos eventos previstos pelo PT e simpatizantes que defendem sua liberdade. De acordo com Schirmer, a decisão de sitiar a área próxima ao TRF-4 foi tomada há dez dias e não tem relação com a presença de Lula na cidade. A equipe de Segurança Pública trabalha com um gabinete de gestão integrada desde início de janeiro, tomando decisões a fim de evitar conflitos, principalmente no dia do julgamento.

Segundo ele, houve entendimento, sobre local e horário, com os manifestantes pró e contra Lula, a fim de evitar confrontos. Até a manhã desta terça-feira, segundo o secretário, foram registradas a chegada de 150 ônibus fretados à cidade.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247