Chico Lopes questiona relator sobre ‘cortina de fumaça’ para retirada de direitos

Deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) questionou o relator do projeto de reforma trabalhista, deputado Rogério Marinho (PSDB-RN), sobre sua declaração de que o projeto de reforma da Previdência seria a "cortina de fumaça" necessária para que a reforma trabalhista seja aprovada sem debate; Lopes também afirmou que “as pessoas estão a cada dia entendendo melhor o que está acontecendo, que é uma simples e grave tentativa de retirar os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários do povo brasileiro, para pagar a conta do golpe"

chico lopes
chico lopes (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 - Em audiência pública conjunta realizada pela Comissão de Legislação Participativa e pela Comissão de Trabalho, da Câmara dos Deputados, nesta terça-feira, 18/4, o deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE) questionou o relator do projeto de reforma trabalhista, deputado Rogério Marinho, do PSDB-RN, sobre declaração de que o projeto de reforma da Previdência seria a "cortina de fumaça" necessária para que a reforma trabalhista seja aprovada sem debate com a sociedade, com facilidade para o corte de direitos históricos do trabalhador, consagrados desde a Consolidação das Leis Trabalhistas.

"Li aqui no blog do Leonardo Sakamoto: 'Taí o relator da reforma trabalhista, do PSDB-RN, em evento com empresários, num rompante de sinceridade, ele apenas reforçou que o espírito do projeto de lei do governo e seus aliados é tentar rasgar a CLT com a menor transparência possível'", apontou Chico Lopes.

"'A reforma da Previdência virou uma espécie de cortina de fumaça. Só se discute reforma da Previdência. Só se fala na reforma da Previdência. Está fora a reforma trabalhista. Isso é muito bom assim'. É verdade que o senhor tenha dito isso?", perguntou Lopes ao relator.

"Porque uma coisa séria dessa, achar que uma outra reforma vai tapar o sol com a peneira... Se é verdade que o senhor disse, é um escárnio com a grande massa trabalhadora e com o próprio parlamento", complementou o deputado cearense.

"Com o povo não tem essa de cortina de fumaça. As pessoas estão a cada dia entendendo melhor o que está acontecendo, que é uma simples e grave tentativa de retirar os direitos sociais, trabalhistas e previdenciários do povo brasileiro, para pagar a conta do golpe, retribuir àqueles que colocaram Michel Temer no poder como um presidente ilegítimo e sem o menor respaldo popular para fazer reformas de tantas implicações sobre a vida do brasileiro. Precisamos estar mobilizados para derrotar as duas reformas!"

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247