Chico Lopes: "Temer não tem condições de continuar na presidência"

Para o deputado Chico Lopes, mesmo antes das denúncias feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que derrubaram o agora também ex-ministro Geddel Vieira Lima, Michel Temer nunca chegou a ter legitimidade para exercer a presidência da República; agora a situação se complicou mais ainda, tornando-se insustentável; "Agora, com a denúncia de que o presidente da República utilizou seu cargo para pressionar um ministro e tentar resolver um problema particular e financeiro de outro, Temer fica totalmente sem condições de continuar respondendo pela presidência", afirmou; "Ficou tudo totalmente claro. Nem precisa desenhar"

Para o deputado Chico Lopes, mesmo antes das denúncias feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que derrubaram o agora também ex-ministro Geddel Vieira Lima, Michel Temer nunca chegou a ter legitimidade para exercer a presidência da República; agora a situação se complicou mais ainda, tornando-se insustentável; "Agora, com a denúncia de que o presidente da República utilizou seu cargo para pressionar um ministro e tentar resolver um problema particular e financeiro de outro, Temer fica totalmente sem condições de continuar respondendo pela presidência", afirmou; "Ficou tudo totalmente claro. Nem precisa desenhar"
Para o deputado Chico Lopes, mesmo antes das denúncias feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que derrubaram o agora também ex-ministro Geddel Vieira Lima, Michel Temer nunca chegou a ter legitimidade para exercer a presidência da República; agora a situação se complicou mais ainda, tornando-se insustentável; "Agora, com a denúncia de que o presidente da República utilizou seu cargo para pressionar um ministro e tentar resolver um problema particular e financeiro de outro, Temer fica totalmente sem condições de continuar respondendo pela presidência", afirmou; "Ficou tudo totalmente claro. Nem precisa desenhar" (Foto: Aquiles Lins)

Ceará 247 - Após as denúncias feitas pelo ex-ministro da Cultura, Marcelo Calero, que resultaram no pedido de demissão do agora também ex-ministro Geddel Vieira Lima, o presidente Michel Temer não tem condições de permanecer no cargo. A avaliação é do deputado federal Chico Lopes (PCdoB-CE), para quem, se Temer nunca chegou a ter legitimidade para exercer a presidência da República, agora a situação se complicou mais ainda, tornando-se insustentável.

"Temer nunca teve nenhum apoio popular para governar, diante da forma pela qual chegou ao poder, traindo a ex-presidenta Dilma, conspirando e sendo parte de um golpe de estado em pleno 2016! Agora, com a denúncia de que o presidente da República utilizou seu cargo para pressionar um ministro e tentar resolver um problema particular e financeiro de outro, Temer fica totalmente sem condições de continuar respondendo pela presidência", destaca Chico Lopes. "Ficou tudo totalmente claro. Nem precisa desenhar".

O parlamentar cearense, que já havia cobrado a demissão de Geddel Vieira Lima, diante da gravidade e da verdade das acusações feitas por Marcelo Calero, avalia que o povo não aceitará que somente Geddel saia do governo. "Pela primeira vez na história, um ministro denuncia um presidente da República, apontando claramente que ele usou o poder do cargo para tentar beneficiar um amigo, resolver uma questão pessoal. Isso é simplesmente inaceitável", destaca Lopes.

"Enquanto a presidente Dilma, eleita democraticamente por mais de 54 milhões de brasileiros e que não cometeu nenhum crime, foi afastada do poder somente pela correlação de forças políticas e pelos atores que tramaram e executaram o golpe, Michel Temer, que nesse pouco tempo de governo só fez maldades contra o povo, que já responde a diversas denúncias e agora é apontado como tendo cometido crime de improbidade administrativa, tem que deixar imediatamente a presidência da República", complementa Chico Lopes.

Não à eleição indireta

Para Chico Lopes, cresce a mobilização da população contra as medidas do governo Temer, como a PEC 55/241 (que congela por 20 anos os investimentos sociais), a reforma do Ensino Médio imposta via medida provisória, a mudança na legislação sobre o pré-sal, a reforma da previdência que acabará com direitos e fará o povo pagar a conta.

"Cada vez mais o povo exige a saída de Temer. E as pessoas sabem que ou ele sai este ano, ou haverá eleição indireta caso ele saia só no ano que vem. O Brasil não pode andar pra trás, voltar aos tempos da ditadura, de eleição indireta para presidente. Precisamos de uma solução na democracia, no voto. Só assim haverá legitimidade para uma nova escolha e para que o País possa seguir adiante", defende Chico Lopes.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247