Chuva curta provoca 15 alagamentos em SP

Maior cidade do País confirma falta de preparo para resistir a temporais, mesmo que de breve duração. O estado de São Paulo já registra 12 mortes em decorrência das chuvas desde o início do mês de dezembro

Chuva curta provoca 15 alagamentos em SP
Chuva curta provoca 15 alagamentos em SP
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP247 – O despreparo da maior cidade do País para suportar chuvas se mostrou sem retoques mais uma vez. Temporais que desabaram durante a tarde desta quarta-feira 16 sobre São Paulo causaram nada menos que 15 pontos de alagamentos, em todas as regiões.

Foram registradas cenas de carros semi-submersos, casas isoladas pelas águas e pessoas ilhadas nos bairros do Butantã, Lapa e Pinheiros, na Zona Oeste, Aricanduva e Mooca, na Zona Leste, Campo Limpo e Santo Amaro, na Zona Sul, sé, na Região Central, e Freguesia do Ó, na Zona Norte. O Centro de Gerencimento de Emergências (CGE) estebeleceu o estado de alerta às 13h45.  Os alagamentos ocorreram depois desse horário.

A previsão para a quinta-feira 17 é de afastamento das chuvas da capital paulista. O céu permanecerá nublado, com precipitações nas primeiras horas do dia. Para a sexta-feira 18, a previsão é de sol com nuvens e temperaturas em elevação, mas as chuvas podem voltar durante a tarde.

Leia mais sobre os prejuízos das chuvas em São Paulo:

São Paulo registra desde dezembro 12 mortes relacionadas às chuvas

Bruno Bocchini
Repórter da Agência Brasil

São Paulo – O estado de São Paulo já registra 12 mortes em decorrência das chuvas desde o início do mês de dezembro – o mesmo número alcançado no ano passado, até 31 de março. Segundo dados da Defesa Civil, as mortes foram causadas principalmente  por raios (sete), e por enchentes (três). 

O estado contabiliza ainda 2.163 desalojados (no ano passado, até março, foram 1.638), 260 desabrigados (ante 284 em 2012), e 59 feridos (39 no ano passado). De acordo com a nomenclatura do setor, o desabrigado se diferencia do desalojado por depender de abrigo provido pelo setor público.

Das 129 cidades monitoradas pela Defesa Civil, 114 estão em estado de observação, 14 em estado de atenção e uma – Cubatão, na Baixada Santista – em estado de alerta. Na região, desde dezembro, já foram registrados 131 desalojados, 26 desabrigados e dois mortos.

Segundo a Defesa Civil, devido à grande concentração populacional – com cerca de 70% dos habitantes do estado – e a presença de serras e encostas, a região central e Leste do estado são as mais atingidas pelos problemas decorrentes das chuvas. Na região de Campinas, já há 932 desalojados; na de Osasco, 412.

Em São Luiz do Paraitinga, situada no Leste do estado, o transbordamento do Rio Paraitinga, que destruiu parte do centro da cidade em 2010, atingiu nas últimas semanas 96 casas e deixou 115 pessoas fora de suas residências. Em Osvaldo Cruz, no interior do estado, a Defesa Civil removeu cerca de 160 pessoas, devido aos alagamentos que atingiram a cidade.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email