Cid chama Temer de 'chefão do estilo achacador'

Ex-governador do Ceará acredita que o movimento do impeachment perdeu força quando a população se deu conta de quem assumiria no caso de afastamento da presidente Dilma Rousseff; para o ex-ministro, o povo "já está vendo que pior que a Dilma é entregar para o vice dela, esse Michel Temer, que é o chefão desse estilo de política"; Cid Gomes também chama o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de "morto-vivo"

Ex-governador do Ceará acredita que o movimento do impeachment perdeu força quando a população se deu conta de quem assumiria no caso de afastamento da presidente Dilma Rousseff; para o ex-ministro, o povo "já está vendo que pior que a Dilma é entregar para o vice dela, esse Michel Temer, que é o chefão desse estilo de política"; Cid Gomes também chama o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de "morto-vivo"
Ex-governador do Ceará acredita que o movimento do impeachment perdeu força quando a população se deu conta de quem assumiria no caso de afastamento da presidente Dilma Rousseff; para o ex-ministro, o povo "já está vendo que pior que a Dilma é entregar para o vice dela, esse Michel Temer, que é o chefão desse estilo de política"; Cid Gomes também chama o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de "morto-vivo" (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará 247 – O movimento do impeachment perdeu força quando a população se deu conta de quem assumiria no caso de afastamento da presidente Dilma Rousseff. A opinião é do ex-governador do Ceará Cid Gomes.

O povo "já está vendo que pior que a Dilma é entregar para o vice dela, esse Michel Temer, que é o chefão desse estilo de política", disse ele em entrevista ao portal Diário do Nordeste.

"(Temer) é o presidente do PMDB. Então, é o chefe do estilo achacador que o PMDB é e serviu de inspiração para muitos outros partidos. Esse PR é a mesma coisa, só que menorzinho, mas é também um partido de achacadores", opinou.

Cid Gomes também chama o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de "morto-vivo". "Para mim ele é um morto-vivo, é um zumbi que está ali. Ninguém acredita mais. Está servindo de chacota. Tudo o que ele fala é motivo de chacota", afirma.

Para ele, a maior parte dos deputados está nas mãos de Cunha por três razões diferentes. "A maioria do nosso parlamento, infelizmente, é uma banda igual a ele. Tem o mesmo estilo desonesto, que se apropria, faz chantagem para pegar dinheiro, pegar propina", disse.

"Outra banda recebeu dele dinheiro. Ele financiou muitos deputados nas eleições passadas", lembrou. Ele destaca ainda a oposição que, para dar seguimento ao processo de impeachment, o apoia. "Dentro dessa ideia, eles enxergam em Eduardo Cunha um aliado, dando para ele uma maioria na Câmara".

Assista:

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247