Ciro vê Jobim como nome mais provável para o lugar de Temer

Pré-candidato à presidência em 2018 pelo PDT, Ciro Gomes vê o nome do ex-ministro do STF Nelson Jobim como o mais provável para o lugar de Michel Temer, em caso de eleição indireta; "[Jobim] é sócio de um banco e poderia, teoricamente, assumir esse compromisso de manter a normalidade da economia e preparar o País para as eleições gerais de 2018", declarou, em entrevista a uma rádio de Porto Alegre; Ciro disse ainda que não cogita disputar o mandato tampão; “Eu tenho nojo de conchavo e conspiração. Estava até afastado da política e o que está acontecendo no Brasil é uma conspiração do baronat. Eu não me prestaria a um serviço destes em nenhuma hipótese”, criticou; seu partido defende antecipação das eleições gerais

Pré-candidato à presidência em 2018 pelo PDT, Ciro Gomes vê o nome do ex-ministro do STF Nelson Jobim como o mais provável para o lugar de Michel Temer, em caso de eleição indireta; "[Jobim] é sócio de um banco e poderia, teoricamente, assumir esse compromisso de manter a normalidade da economia e preparar o País para as eleições gerais de 2018", declarou, em entrevista a uma rádio de Porto Alegre; Ciro disse ainda que não cogita disputar o mandato tampão; “Eu tenho nojo de conchavo e conspiração. Estava até afastado da política e o que está acontecendo no Brasil é uma conspiração do baronat. Eu não me prestaria a um serviço destes em nenhuma hipótese”, criticou; seu partido defende antecipação das eleições gerais
Pré-candidato à presidência em 2018 pelo PDT, Ciro Gomes vê o nome do ex-ministro do STF Nelson Jobim como o mais provável para o lugar de Michel Temer, em caso de eleição indireta; "[Jobim] é sócio de um banco e poderia, teoricamente, assumir esse compromisso de manter a normalidade da economia e preparar o País para as eleições gerais de 2018", declarou, em entrevista a uma rádio de Porto Alegre; Ciro disse ainda que não cogita disputar o mandato tampão; “Eu tenho nojo de conchavo e conspiração. Estava até afastado da política e o que está acontecendo no Brasil é uma conspiração do baronat. Eu não me prestaria a um serviço destes em nenhuma hipótese”, criticou; seu partido defende antecipação das eleições gerais (Foto: Rodrigo Rocha)

Ceará 247 - Pré-candidato à presidência da República em 2018, Ciro Gomes (PDT) vê o nome do ex-presidente do STF, Nelson Jobim, como o mais provável para ocupar o lugar de Michel Temer (PMDB), em caso de eleição indireta pós-afastamento do peemedebista.

“Os nomes são muito reduzidos. Você tem o ex-ministro Nelson Jobim (ex-presidente do STF), que transita no mundo empresarial mais rico do país, na medida em que é sócio de um banco e poderia, teoricamente, assumir esse compromisso de manter a normalidade da economia e preparar o País para as eleições gerais de 2018”, disse, em entrevista ao programa Esfera Pública, da Rádio Guaíba, de Porto Alegre (RS).

O ex-governador do Ceará deu sua opinião também sobre outros nomes que vêm sendo cotados para assumir a presidência em um mandato tampão.

“Rodrigo Maia é um nome intolerável (…), o mercado financeiro quer (Henrique) Meirelles (ministro da Fazenda), mas não passará de jeito nenhum. O mundo dos políticos mais sérios, vamos dizer assim, querem Tasso Jereissati (senador PSDB-CE), que eu acho que seria vetado pelo PMDB. Carmen Lucia (presidente do STF), também foi cogitada, mas não vejo como os políticos a escolheram, na medida em que ela não tem compromisso com os políticos bons ou maus”, pontuou.

Na entrevista, Ciro disse ainda que não cogita disputar uma eleição indireta. “Eu tenho nojo de conchavo e conspiração. Estava até afastado da política e o que está acontecendo no Brasil é uma conspiração do baronato… Eu não me prestaria a um serviço destes em nenhuma hipótese” (leia mais aqui). (Com informações do blog do Felipe Vieira)

 

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247