'Com este resultado, Temer não aprova um requerimento sequer', diz deputado tucano

Apesar de Michel Temer ter conseguido que Câmara aprovasse a segunda denúncia contra si, o peemedebista deverá enfrentar dificuldades até no PSDB, um dos principais partidos da base governista; "A maioria do partido quer que o PSDB se afaste de Temer, isso ficou evidente quando a maioria votou  pelo prosseguimento da denúncia. O governo está enfraquecido e com a quantidade de votos que teve, ficou claro que não tem maioria para aprovar um requerimento sequer", diz o deputado Daniel Coelho (PE), um dos líderes dos chamados "cabeças pretas", ala mais jovem do partido que prega ao desembarque do governo Temer

Apesar de Michel Temer ter conseguido que Câmara aprovasse a segunda denúncia contra si, o peemedebista deverá enfrentar dificuldades até no PSDB, um dos principais partidos da base governista; "A maioria do partido quer que o PSDB se afaste de Temer, isso ficou evidente quando a maioria votou  pelo prosseguimento da denúncia. O governo está enfraquecido e com a quantidade de votos que teve, ficou claro que não tem maioria para aprovar um requerimento sequer", diz o deputado Daniel Coelho (PE), um dos líderes dos chamados "cabeças pretas", ala mais jovem do partido que prega ao desembarque do governo Temer
Apesar de Michel Temer ter conseguido que Câmara aprovasse a segunda denúncia contra si, o peemedebista deverá enfrentar dificuldades até no PSDB, um dos principais partidos da base governista; "A maioria do partido quer que o PSDB se afaste de Temer, isso ficou evidente quando a maioria votou  pelo prosseguimento da denúncia. O governo está enfraquecido e com a quantidade de votos que teve, ficou claro que não tem maioria para aprovar um requerimento sequer", diz o deputado Daniel Coelho (PE), um dos líderes dos chamados "cabeças pretas", ala mais jovem do partido que prega ao desembarque do governo Temer (Foto: Paulo Emílio)

Paulo Emílio, Pernambuco 247 - Apesar da Câmara ter arquivado a segunda denúncia, por obstrução da Justiça e organização criminosa, Michel Temer deverá enfrentar dificuldades junto ao Congresso para conseguir aprovar a agenda neoliberal que tanto deseja. Até no PSDB, um dos principais partidos da base governista, a certeza é que o governo Temer está cambaleante.

"A maioria do partido quer que o PSDB se afaste de Temer, isso ficou evidente quando a maioria votou contra o relatório, pelo prosseguimento da denúncia. O governo está enfraquecido e com a quantidade de votos que teve ficou claro que não tem maioria para aprovar um requerimento sequer", diz o deputado federal Daniel Coelho (PSDB-PE), um dos líderes dos chamados "cabeças pretas", ala mais jovem do partido que prega ao desembarque do governo Temer.

"Não são apenas os cabeças pretas. A maioria do PSDB quer se afastar do governo. O que vimos nesta quarta-feira (25) é o filme do Brasil nos últimos 20 anos com o mensalão, petrolão, impeachment e agora, tanto no campo institucional como histórico, com emendas, cargos e até com dinheiro ilegal de corrupção. O presidencialismo de cooptação não dá mais", disparou o parlamentar.

Segundo ele, a expectativa é que o afastamento do partido da base do governo Michel Temer aconteça em dezembro, quando a legenda tucana realizará sua convenção. "O partido deve apoiar um candidato à sua presidência que também pense no afastamento imediato do governo. Neste caso, o candidato é o senador Tasso Jereisati (CE)", afirma.

Para uma das principias vozes da oposição, o deputado federal Sílvio Costa (PTdoB), a avaliação é que "o arquivamento da denúncia contra Temer passa o recado que o país oficializou a corrupção". "De resto, o governo temer encolheu a sua base e virou refém do fisiologismo. Agora é, lamentavelmente, esperar as eleições do próximo ano ou esperar que Geddel (ex-ministro Geddel Vieira Lima, preso no âmbito da Lava Jato) faça a sua delação premiada, o que poderá resultar em uma terceira denúncia contra Temer. Aí começaria tudo de novo", diz Silvio.

O parlamentar também criticou a postura do PSDB na votação da quarta-feira. O PSDB ajudou o governo Temer ao dar quórum, eles sabiam que se desse quórum o prosseguimento da denúncia seria derrotado no plenário. Um partido tem que ter e tomar posição. Se queria mesmo desembarcar do governo, agisse junto com a oposição", ressaltou.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247