Com Olívio ao Senado, chapa de Tarso é lançada

Partidos aliados à reeleição do governador Tarso Genro (PT) anunciaram, na tarde desta quarta-feira, a chapa majoritária, na sede do PTB Metropolitano; a ex-secretária de Turismo Abgail Pereira (PC do B) será candidata a vice e o ex-governador Olívio Dutra (PT) concorrerá ao Senado; unanimidade no PT e respeitado pelos aliados, Olívio revigora a militância petista e traz competitividade na disputa ao Senado, que, por enquanto, tem o jornalista Lasier Martins (PDT),  o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) e o professor Júlio Flores (PSTU)

Partidos aliados à reeleição do governador Tarso Genro (PT) anunciaram, na tarde desta quarta-feira, a chapa majoritária, na sede do PTB Metropolitano; a ex-secretária de Turismo Abgail Pereira (PC do B) será candidata a vice e o ex-governador Olívio Dutra (PT) concorrerá ao Senado; unanimidade no PT e respeitado pelos aliados, Olívio revigora a militância petista e traz competitividade na disputa ao Senado, que, por enquanto, tem o jornalista Lasier Martins (PDT),  o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) e o professor Júlio Flores (PSTU)
Partidos aliados à reeleição do governador Tarso Genro (PT) anunciaram, na tarde desta quarta-feira, a chapa majoritária, na sede do PTB Metropolitano; a ex-secretária de Turismo Abgail Pereira (PC do B) será candidata a vice e o ex-governador Olívio Dutra (PT) concorrerá ao Senado; unanimidade no PT e respeitado pelos aliados, Olívio revigora a militância petista e traz competitividade na disputa ao Senado, que, por enquanto, tem o jornalista Lasier Martins (PDT),  o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) e o professor Júlio Flores (PSTU) (Foto: Roberta Namour)

Jaqueline Silveira
Sul 21 - Com a sede do PTB Metropolitano lotada, os partidos aliados à reeleição do governador Tarso Genro (PT) anunciaram, no começo da tarde desta quarta-feira (28), a chapa majoritária. A ex-secretária de Turismo Abgail Pereira (PC do B) será candidata a vice e o ex-governador Olívio Dutra (PT) concorrerá ao Senado.

As negociações feitas nos últimos dias mudaram a composição inicialmente prevista da chapa e, ao mesmo tempo, o cenário eleitoral no Rio Grande do Sul. Pelo acordo, o PTB indicaria o vice, que teve entre os cogitados para a vaga o deputado Luis Augusto Lara, a ex-prefeita Keli Morares e o ex-chefe da Polícia Civil Ranolfo Vieira, e o PC do B, apresentaria o nome ao Senado, que seria Emília Fernandes. O PTB, porém, abriu mão de indicar o companheiro de chapa de Tarso, e o PC do B retirou a pré-candidatura ao Senado em prol de Olívio. Antes um pouco do anúncio da majoritária, os comunistas se reuniram e definiram pelo nome de Abgail como vice.

Unanimidade no PT e respeitado pelos aliados, Olívio revigora a militância petista para campanha de Tarso e traz competitividade na disputa ao Senado, que, por enquanto, tem como pré-candidatos confirmados: o jornalista Lasier Martins (PDT), o deputado federal Beto Albuquerque (PSB) e o professor Júlio Flores (PSTU).

Anfitrião no ato político, o presidente estadual do PTB, deputado federal Luiz Carlos Busato, disse que a pré-candidatura do ex-governador mexe no cenário eleitoral.

“Temos certeza que muda o quadro político”, destacou o dirigente, elogiando a unidade da aliança e os petebistas que colocaram o nome à disposição para concorrer a vice de Tarso. Sobre ter mais espaço no governo em troca da retirada da pré-candidatura, Busato disse que isso não foi tratado. “Não discutimos espaços, o que queremos é participação das decisões de governo daqui para frente”, afirmou o deputado.

No mesmo tom do petebista quanto à unidade, a presidente do PC do B no Estado, deputada federal Manuela D’Ávila, ressaltou que seu partido tinha duas conquistas para comemorar com a composição da chapa. A primeira delas é em relação à pré-candidatura de Olívio por ser, segundo ela, “um homem que engrandece o Rio Grande do Sul”. Já outra conquista trata-se da escolha de Abgail para ser vice do atual governador “Fizemos um gesto de retirar a nossa candidatura (ao Senado), engrandecemos a nossa chapa e preservamos a nossa unidade”, declarou Manuela, sobre as negociações de composição da aliança. Ela negou que a saída de Emília Fernandes da chapa esteja condicionada ao apoio do PT a sua candidatura à prefeitura de Porto Alegre, em 2016. “Não discutimos o futuro”, garantiu a deputada, que afirmou que não houve veto dos petistas à candidatura de Emília. A ex-senadora não compareceu ao evento.

Chefe do PT estadual, Ary Vanazzi agradeceu aos partidos “pela grandeza” demonstrada nos últimos dias e que possibilitou a composição da chapa. Já com um pronunciamento de pré-candidata, Abgail procurou exaltar as virtudes do governo Tarso Genro, dando o tom do discurso na campanha. “Vimos nosso Rio Grande crescer economicamente e se desenvolver socialmente”, ressaltou a ex-secretária de Turismo. E prosseguiu: “Me sinto orgulhosa e entusiasmada com a tarefa que o meu partido me deu”.

Ex-governador defendeu a reforma política

O momento do pré-candidato ao Senado falar foi antecedido por gritos entusiasmados da militância: “Olívio, Olívio, Olívio”. Com voz mansa, como de costume, o ex-governador afirmou que pensou bastante e consultou amigos sobre a decisão. “Fico muito orgulhoso e honrado. Tenho meditado bastante! Eu durmo pouco e tenho dormido menos ainda”, acrescentou. Diante do olhar atento dos militantes petistas e dos aliados, Olívio afirmou que a tarefa de todos é “aperfeiçoar e aprimorar o projeto que está fazendo bem para o Rio grande e para o Brasil”, numa referência à reeleição dos governos Tarso Genro e Dilma Rousseff. Ele também defendeu um “Estado que funcione para todos, senão para a maioria” e a reforma política. “Não podemos ser objeto da política, temos de ser sujeitos da política. Eu sou militante dessas ideias”, concluiu ele.

Governador disse foi construída uma aliança de princípios

Saudado pela militância, principalmente pelo do PTB que chegou ensaiar um canto, o governador se disse comovido com a manifestação dos petebistas, agradecendo a todos os aliados pelo esforço em prol da unidade da coligação. “Esse tipo de postura é baseado numa relação programática, de princípios”, afirmou Tarso, sobre aliança construída. Em seu discurso, ele criticou os ataques feitos aos partidos e políticos que, segundo ele, “está na moda”, e que só fortalecem, por exemplo, o autoritarismo. O pré-candidato destacou que a aliança feita no Estado ainda será exemplo para o Brasil. “Nenhum de nós, aqui, pleiteou ser candidato. Eu aceitei uma missão política dada pelo meu partido. O Olívio não era candidato, não se ofereceu para ser”, frisou Tarso.

Especificamente sobre seus companheiros de chapa, Olívio e Abigail, o governador declarou que aprendeu a respeitá-los durante sua trajetória. “A Abigail enriquece e dá vigor a nossa chapa, e o Olívio é muito mais que um membro de um partido, é um símbolo político da dignidade nacional”, elogiou Tarso. Depois de finalizar a manifestação, o governador voltou ao microfone para agradecer a um político que ajudou na composição da aliança: ex-senador Sérgio Zambiasi (PTB). Disse que não fez antes de propósito porque não estava autorizado.

Em todos os discursos, os aliados evitaram ataques aos adversários, procurando destacar o crescimento do Estado nos campos econômico e social. Discurso que deverá ser repetido no dia 6 de junho, quando será lançada a majoritária com as presenças da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, e ao longo da campanha eleitoral. Já a confirmação das candidaturas deverá ocorrer depois do dia 10 de junho, data que abre o calendário das convenções.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247