Com salário atrasado, terceirizados acampam na Governadoria

Os trabalhadores terceirizados que prestam serviço ao governo do Estado fazem mais uma manifestação desde a manhã desta quarta-feira em frente à sede da Governadoria, no Centro Administrativo, em Salvador; a categoria cobra posicionamento do Estado 'em relação às constantes violações dos direitos trabalhistas'. Eles alegam estar com salários atrasados; "Quem trabalha merece e exige respeito. Tratar com desdém e desrespeito quem trabalho é algo que o Sindilimp e a categoria não aceitará nunca", diz a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Urbana da Bahia (Sindilimp-BA), Ana Angélica Rabello

Os trabalhadores terceirizados que prestam serviço ao governo do Estado fazem mais uma manifestação desde a manhã desta quarta-feira em frente à sede da Governadoria, no Centro Administrativo, em Salvador; a categoria cobra posicionamento do Estado 'em relação às constantes violações dos direitos trabalhistas'. Eles alegam estar com salários atrasados; "Quem trabalha merece e exige respeito. Tratar com desdém e desrespeito quem trabalho é algo que o Sindilimp e a categoria não aceitará nunca", diz a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Urbana da Bahia (Sindilimp-BA), Ana Angélica Rabello
Os trabalhadores terceirizados que prestam serviço ao governo do Estado fazem mais uma manifestação desde a manhã desta quarta-feira em frente à sede da Governadoria, no Centro Administrativo, em Salvador; a categoria cobra posicionamento do Estado 'em relação às constantes violações dos direitos trabalhistas'. Eles alegam estar com salários atrasados; "Quem trabalha merece e exige respeito. Tratar com desdém e desrespeito quem trabalho é algo que o Sindilimp e a categoria não aceitará nunca", diz a coordenadora do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Urbana da Bahia (Sindilimp-BA), Ana Angélica Rabello (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Os trabalhadores terceirizados que prestam serviço ao governo do Estado fazem mais uma manifestação desde a manhã desta quarta-feira (30) em frente à sede da Governadoria, no Centro Administrativo da Bahia (CAB). A categoria cobra posicionamento do Estado 'em relação às constantes violações dos direitos trabalhistas'. Eles alegam estar com salários atrasados.

A coordenadora-geral do Sindicato dos Trabalhadores em Limpeza Urbana da Bahia (Sindilimp-BA), Ana Angélica Rabello, lamentou que os terceirizados ainda precisem se mobilizar para conquistar o que é de direito.

"Quem trabalha merece e exige respeito. Tratar com desdém e desrespeito quem trabalho é algo que o Sindilimp-BA e a categoria não aceitará nunca. Continuaremos nos mobilizando e lutando para que os direitos dos trabalhadores terceirizados sejam, enfim, preservados", disse Angélica.

Diretor-jurídico do Sindilimp-BA, o vereador de Salvador Luiz Carlos Suíca (PT) destacou "a necessidade de uma maior abertura para o diálogo entre os representantes das categorias e o governo do Estado".

"Os terceirizados estão cansados de tanta humilhação e de todo mês terem que fazer manifestações para receber os salários. Para diminuir esse desgaste, acredito que o nosso governador Rui Costa deveria sentar com os representantes de todos os sindicatos dos trabalhadores terceirizados para que se chegue a um denominador comum. Precisamos, juntos, encontrar uma solução para que esses pais e mães de família parem de sofrer", declarou Suíca.

O vereador ainda comentou as declarações de Rui Costa sobre os constantes atrasos nos salários dos trabalhadores. "A demonstração de insatisfação com a atual situação feita e a sinalização de redefinição dos contratos será muito importante para a categoria. O novo formato de licitação de serviço, anunciado por Rui Costa, será fundamental para resgate da dignidade dos terceirizados do Estado", opinou Suíca.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247