Comandante dos bombeiros nega problemas no Pré-Caju; Samuel se revolta

Comandante Nailson Melo diz que não há laudo técnico apontando irregularidades e divide responsabilidades com Crea e Defesa Civil; para ele, a ação de Samuel é “caluniosa” e a denúncia “irresponsável, midiática, desprovida de dados técnicos e baseada em relatos por ouvir dizer”; Samuel diz que relatório é claro, cobra convocação do comandante pela Assembleia; "realmente o Corpo de Bombeiros de Sergipe não tem comandante. O laudo sobre o último dia do Pré-Caju informava que até aquele momento não havia projetos de pânico e combate a incêndio, assinado por dois oficiais. O comandante não aguenta pressão e é um fraco", afirma

Comandante dos bombeiros nega problemas no Pré-Caju; Samuel se revolta
Comandante dos bombeiros nega problemas no Pré-Caju; Samuel se revolta
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Valter Lima, do Sergipe 247 – O comandante do Corpo de Bombeiros de Sergipe (CBMSE), Nailson Melo Santos, encaminhou nota à imprensa sobre a denúncia feita pelo deputado estadual Capitão Samuel (PSL), de que o Pré-Caju 2013 teria ocorrido mesmo com falhas em sua estrutura física e sem um projeto de prevenção de incêndio, desrespeitando laudo elaborado pela corporação militar. Segundo o parlamentar, o interesse econômico teria calado o documento técnico.

Para Nailson Melo, a ação de Samuel é “caluniosa” e a denúncia “irresponsável, midiática, desprovida de dados técnicos e baseada em relatos por ouvir dizer”. Na nota, ele transfere a maior parte das responsabilidades para as Defesas Civis e para o Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea).  De acordo com o comandante, aos bombeiros cabem as análises de projetos e vistorias técnicas.

“A ação da corporação analisa os aspectos de segurança contra incêndio e pânico (extintores, saídas de emergência, sinalização e iluminação de emergência), cobrando ainda dos responsáveis as Anotações de Responsabilidade Técnica – ARTs – registradas no CREA referentes à montagem e desmontagem da estrutura e do projeto elétrico”. Ele afirma que “as coordenadorias de Defesas Civis do Estado e do Município são encarregadas das aprovações dos aspectos estruturais (montagem), haja vista atuarem com corpo de engenharia em seus quadros”.

Nailson ainda explica que o trabalho do CBMSE no evento não se encerra com a análise do projeto e que a corporação atua todos os dias “realizando vistorias, intervindo quando necessário em caso de risco de acidente, anotando as alterações que são produzidas pelos usuários dos camarotes para posterior relatório que é encaminhado ao Ministério Público para audiência e providências com todos envolvidos no processo (organizadores e segurança do evento)”. Mas diz que o relatório da festa deste ano não está concluído ainda, em decorrência do desastre de Santa Maria (RS) que determinou uma nova demanda à instituição.

Segundo o comandante, não teria havido notificação feita pelos bombeiros de falta de extintores de incêndio, brigada de incêndio, iluminação, sinalização e saídas de emergências, na prévia carnavalesca. A denúncia de Samuel contrasta justamente com esta resposta. Ele diz que há cinco anos o laudo realizado pelos bombeiros tem sido ignorado, colocando assim a vinda dos milhares de foliões em risco.

Samuel replica

Diante da divulgação da nota, o deputado esperneou em plenário contra o comandante, na tarde desta segunda-feira (1º), afirmando que o documento tem “desculpas boas” e exigiu o comparecimento dele à Assembleia para prestar esclarecimentos do caso. “Realmente o Corpo de Bombeiros de Sergipe não tem comandante. O laudo sobre o último dia do Pré-Caju informava que até aquele momento não havia projetos de pânico e combate a incêndio, assinado por dois oficiais do Corpo de Bombeiros”, afirma.

Para Samuel, o comandante “não aguenta pressão” e “é um fraco”. “Acho que ele não é nem formado em bombeiro. Se a Assembleia não marcar para ele vir aqui, vou acionar a Justiça. Ele terá que responder sobre o laudo aqui e no Ministério Público. Ele é irresponsável, pois não assume as ações da corporação que comanda. Na nota, ele pratica crime de omissão, pois reconhece erros nos camarotes, e também se omite. Porque não interditou? Ele tem que dar respostas e não agredir”, critica. 

Leia mais sobre o caso aqui e aqui.

Fotos: ASN e Agência Alese

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email