Comentarista esportivo é assassinado em Goiânia

Valério Luiz deixava o estúdio da Rádio Jornal 820 quando foi abordado por motociclista; ele levou cinco tiros e morreu no local; pai da vítima, o também comentarista esportivo Mané de Oliveira, desabafa: “Mataram meu filho, eu sei quem foi que mandou matar meu filho. Porque ele está fazendo isso comigo?”

Comentarista esportivo é assassinado em Goiânia
Comentarista esportivo é assassinado em Goiânia (Foto: Laerte Júnior)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

O radialista e comentarista esportivo Valério Luiz de Oliveira foi assassinado há pouco após deixar o estúdio da Rádio Jornal 820, no Setor Serrinha, em Goiânia. O profissional havia acabado de deixar o estúdio da emissora e estava no carro, um Ford K, quando, segundo a PM, um motociclista parou ao seu lado e efetuou seis disparos. Cinco atingiram Valério. O SAMU foi acionado mas o radialista, de 49 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu no local.

Muito conhecido no meio jornalístico e esportivo, a morte de Valério gerou comoção e muitas especulações sobre a autoria do crime. No microblog Twitter, amigos e admiradores lamentam, consternador, o ocorrido.

Ao site G1, Mané de Oliveira, pai de valério e também cronista esportivo, chegou ao local do crime minutos depois do assassinato. Ele afirmou que sabia quem era o autor do crime: “Mataram meu filho, eu sei quem foi que mandou matar meu filho. Porque ele está fazendo isso comigo?”.

O site Uol traz a informação de que a polícia ainda não divulgou a linha de investigação. Colegas de trabalho do comentarista disseram ao site que a morte poderia ter relação com desentendimentos entre ele, torcedores e clubes de futebol na capital.

O Uol diz que, recentemente, a PUC TV, outro local onde o radialista trabalhava, foi impedida de exercer seu trabalho nas dependências do clube Atlético Goianiense. No documento apresentado, o motivo seria a presença no quadro de profissionais do programa “Mais Esportes” do comentarista Valério Luiz, considerado por Maurício Sampaio, sócio de uma rádio e ex-vice-presidente do Atlético, “persona non grata no clube”.

Leia mais na informação do Portal 730:

Cronista esportivo Valério Luiz é morto na porta do trabalho

Filho do também comunicador Mané de Oliveira tinha saído de programa em emissora que trabalhava quando foi alvejado com cinco tiros, segundo polícia

O cronista esportivo Valério Luiz, filho do também comunicador Mané de Oliveira, foi assassinado na tarde desta quinta-feira, por volta das 14h. Segundo informações da Polícia Militar, Valério foi alvejado com cinco tiros na porta da rádio onde trabalhava, no Setor Serrinha.

Valério estava dentro do carro quando foi atingido por um motoqueiro e morreu antes de receber atendimento médico. Ainda não há informações sobre a motivação do crime. De acordo com testemunhas o motoqueiro estava parado na porta da Rádio Jornal há alguns minutos e aguardou Valério entrar no carro para alvejá-lo. A polícia investiga o caso.

O secretário de segurança pública de Goiás, João Furtado, em entrevista à Rádio 730, lamentou o fato e garantiu que o Estado irá se empenhar totalmente em solucionar o caso.

“Nós ainda não sabemos a motivação do crime, é um crime bárbaro, que choca a todos. Me solidarizo com a família, com seu pai, Mané de Oliveira, que é um jornalista conhecido, quero me solidarizar com a classe, esperamos que não seja um atentado à profissão, com a liberdade de imprensa. Espero que possamos elucidar o mais rápido possível”, ressaltou.

João Furtado espera que o crime não esteja ligado a atividade profissional que Valério exercia. “Sempre nos preocupamos com qualquer crime que atinja a imprensa, estamos preocupados e vamos dar prioridade absoluta ao caso”, avaliou.

Valério Luiz tinha 49 anos, era casado, tinha três filhos e seria avô nos próximos meses.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247